INÍCIO SOBRE PARCEIROS RESENHAS ENTREVISTAS CONTATO

sábado, 17 de março de 2012

Férias!

  Rachel mora em Nova York com sua amiga de infância, Brigit. Ela leva uma vida desregrada: abusa das drogas e das bebidas e falta do emprego com uma frequência absurda. Quando Rachel sofre uma overdose, sua amiga percebe a gravidade do vício e liga para os pais de Rachel, em Dublin. Seu pai resolve interná-la no Clausto, um centro de reabilitação que tem fama de curar todos os casos perdidos. Rachel não quer ir, pois não acredita que seja uma toxicômana, mas quando descobre que finalmente foi despedida, que seu adorável namorado não quer mais ser seu namorado e que o Clausto já foi frequentado por alguns artistas, ela resolve ir. Afinal, mesmo ela não tendo problemas com drogas, ela poderia tirar férias e conhecer algumas celebridades.

 “Eu já tinha lido muito sobre o Clausto, e parecia ser um lugar maravilhoso. Já me fantasiava passando horas a fio sentada, envolta numa toalha enorme. Imaginava a sauna, as massagens, as sessões de talassoterapia, os tratamentos à base de algas, esse tipo de coisas.” - Página 22.

  Ao chegar ao Clausto, ela percebe que criou fantasias de mais. Nada de celebridades, saunas, algas e mordomia. O lugar tinha uma rotina a ser seguida, incluindo tarefas domésticas, reuniões, e terapia em grupo.  Rachel repetia para todos os internos que só estava lá para agradar ao pai, pois ela não tinha nenhum problema com drogas. Aos poucos, ela percebe que a maioria das pessoas que está lá, não acredita que tem algum tipo de vício. Entretanto, ao presenciar o relato da esposa de um interno, Rachel percebe que ele tem sim, um grave problema com bebidas, e o mais triste, ele REALMENTE acredita que não tem problema nenhum.  Foram necessárias algumas sessões de terapia e muitas lágrimas para ele enxergar que é um alcoólatra. 

  Um a um, Rachel presencia os internos aceitando que tem um vício e que precisam de ajuda. Mas, mesmo depois acompanhar o progresso de seus colegas, Rachel ainda acredita que com ela é diferente.  Até que um dia, ela é surpreendida ao encontrar Brigit e Luke, seu ex-namorado, na terapia. Eles estão lá para relatar a quantidade de drogas que ela usava, e provar o quanto é grave o seu vício. Será que ela vai aceitar que tem um problema? E, se aceitar, será que depois de dois meses, quando voltar para o mundo real, vai conseguir lidar com isso? E Luke, lhe dará uma nova chance?

  Eu achei o começo do livro um pouco maçante, e fiquei com a impressão de que não iria gostar do resto. Mas, ao prosseguir com a leitura, me diverti muito com a narração de Rachel, seus medos infundados, sua divertida carência, e seu carinho pelas pessoas.  Marian Keyes relata os pensamentos femininos de uma forma cômica e interessante e nos mostra um pouquinho dos sentimentos das pessoas vítimas de um vício. Apesar de não ter me encantado com ele logo de inicio, gostei do livro. 

10 comentários:

  1. O povo fala tão bem dos livros de Marian Keyes e eu nunca li nenhum.
    Gostei de sua resenha ^^
    Beijos
    Bruna-Livros de Cabeceira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu li só esse e "Melancia", mas quero ler os outros.

      Beijo

      Excluir
  2. Adorooo, aliás, adoro tudo o que a Marian escreve, ja li este e o Melancia e gostei dos dois igualmente.Qero continuar na série.

    Vanessa - Balaio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também li os dois, e já comprei "Sushi". Não vejo a hora de ler! haha

      Excluir
  3. Oi Gaby,
    Boa resenha! Eu tentei ler Marian Keyes a um bom tempo (três/quatro anos atrás) e não gostei. Mas acho que se eu tentar hoje de novo, eu consiga pelo menos ir até o final. Férias pareceu legal, é um dos títulos dela que mais me agrada! Além de que a história parece ser engraçada - clichê, mas engraçada. De qualquer modo, ainda prefiro os chick lit de Sophie Kinsella, já leu? Não existe ngm melhor do que ela no gênero *-*
    Bjs,
    Joana - www.poderosasegirlies.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,
      Apesar de não ter gostado muito do livro no começo, acabei me envolvendo com a estória, que realmente é muito engraçada.
      Nunca li nada dela, mas vou procurar ler. Obrigada pela dica. :D

      Beijo

      Excluir
  4. Eu já li alguns livros da Marian e eu gosto do estilo dela. Esse livro em particular não li..
    Adorei o blog!
    bjs

    http://serieslivroseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. ADORO esse livro. Já li 3 dessa autora. Um odeio (Melancia), outro achei mais ou menos (Sushi) e esse, AMEI. Gosto do modo como Keyes faz a gente acreditar que a protagonista nem é tão viciada assim, mas dps desconstrói isso de tal forma que...uou! Mt bom.

    Beijos

    Gleice
    www.murmuriospessoais.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você odeia "Melancia"? Eu gostei até.. mas achei "Férias" beem melhor.
      Ela faz a gente defender a protagonista, mesmo sabendo que ela provavelmente TEM problemas com o vício. haha

      Beijos

      Excluir