INÍCIO SOBRE PARCEIROS RESENHAS ENTREVISTAS CONTATO

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Sushi



  Eu comprei o livro "Sushi" por impulso, eu tinha acabado de ler "Férias" (resenha aqui) e pensei: o livro deve ser divertido na medida certa. Confesso que no começo fiquei com medo de ter feito uma péssima compra, pois demorei de novo para conseguir pegar o ritmo da leitura. Porém, assim como em "Férias", acabei gostando do livro. Não é espetacular, uma estória que não sai da cabeça, mas é gostoso de ler.  

  "Sushi" conta com três personagens principais: Lisa – uma editora pra lá de ambiciosa, que faz de tudo para alcançar o sucesso, Ashling – uma mulher insegura, que sempre quer ajudar a todos, e Clodagh – uma mãe insatisfeita com a sua vida. O leitor vai conhecendo a vida das três simultaneamente. O cenário é a redação de uma revista em Dublin, onde Lisa e Ashling trabalham.  Clodagh entra na estória como a melhor amiga de infância da Ashling. Lisa odeia Dublin e sempre acha defeito em todos os seus colegas de trabalho. Ela quer voltar para Londres e para a sua antiga vida, cheia de glamour. Ashling gosta de trabalhar e não quer se envolver com ninguém, mas conhece um famoso humorista e cede a seus encantos. Já Clodagh tem uma vida aparentemente perfeita: marido dedicado, filhos lindos e chatos, haha e nenhuma preocupação financeira. O que ninguém sabe é que ela não se sente atraída pelo marido e não gosta de viver só para cuidar dos filhos.  A estória mostra acontecimentos cotidianos e tem várias passagens divertidas. Porém, achei a maioria dos acontecimentos previsíveis. Salve uma reviravolta na vida de Clodagh, que eu tinha certeza da identidade do causador, mas me enganei.  

 Apesar dos acontecimentos engraçados e banais, o livro também mostra a fragilidade do ser humano. Por motivos diferentes, as personagens sofrem um colapso nervoso. Os efeitos são mais fortes em Ashiling, que entra em depressão. Depois de todo sofrimento, Lisa percebe o quanto foi dura com as pessoas ao seu redor e com ela mesma, e descobre que o sucesso não é a única forma de felicidade. Já Clodagh é um caso perdido, ela ainda tem muito o que aprender. O livro tem alguns pontos fracos, mas eu gostei da leitura.

12 comentários:

  1. Tenho muita vontade de ler essa série da Marian Keyes! Alguns gostam demais, outros nem tanto! Mas parecem ser livros que distraem, mas não empolgam!
    Vou amadurecer mais a ideia! Até pq os livros não são baratos...
    Um beijo,
    Nica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você falou bem, eles distraem! São uma leitura gostosa sabe, para o leitor relaxar.
      Eu tenho as edições de bolso, são bem mais em conta. O único problema é que as letras são minúsculas. haha

      Beijo

      Excluir
  2. Eu nunca tive vontade de ler esses livros, não sei porque, mas é bom saber que eles tem uma mensagem a passar, acho que eles não impactam o leitor, mas traz um prazer durante a leitura. Eu sempre quebro meus próprios pré-conceitos em relação a um livro, e vou tentar fazer o mesmo com esse, quando puder irei ler e ver o que penso :)

    Bjs
    Daiane
    nouniversodaliteratura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É sempre bom quebrar a nossa rotina de leitura para ler algo diferente. Geralmente nós nos surpreendemos! :]

      Beijo

      Excluir
  3. Oi Gabriela o/
    Obrigada por visitar meu blog.
    Sinceramente, acho que os livros de Marian K. ainda não deram liga. Comecei Melancia e achei um saco. Mas adorei sua resenha.

    AHH!
    SE PUDER, PASSA NO MEU BLOG E RESPONDE A ENQUETE!
    É IMPORTANTE PARA A MINHA COLUNA DE SÉRIES:
    http://nomeuquartoeuleiomuito.blogspot.com.br/

    Bjão
    Roberta Ribeiro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem muita gente que não gosta dos livros dela... Que bom que você gostou da resenha.

      Ok, vou passar lá.

      Beijo

      Excluir
  4. Oi ,Gabi! Minha parceira de blog , tem o Melancia.Confesso q antes dela comentar,eu nao sabia desta serie.

    Eu acho q faz bem ler algo que entretenha.Antes eu ficava: Vou ler apenas Saramago,Machado.....mas resolvi relaxar. Ontem comprei Jogos Vorazes e pensei:Se algum prof me vir por aqui,vai falar q estou jogando dinheiro fora. Rs

    Ora,sei q grandes pensadores ampliam nossa visao de mundo.No entanto,ha dias que so quero me envolver com a historia e me sentir leve. E ainda assim,nao deixo de amar tais pensadores
    Abracos,
    Islayne

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você. É claro que é importante ler clássicos, grandes pensadores e tal. Mas acredito que não é necessário radicalizar. Devemos ler de tudo um pouco, afinal é muito gostoso ler só por ler. É perfeitamente aceitável amar autores de gêneros e épocas diferentes. :]
      Aproveite a leitura de Jogos Vorazes e me conta! haha Estou curiosa para ler!

      Um beijo.

      Excluir
  5. Ainda pretendo ler os livros da Marian Keyes. Nossa! É tão impressionate a quantidade de pessoas que acham super divertidas as estórias... Espero que minhas férias cheguem logo! haha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim! Eles são bem divertidos! Também espero que minhas férias cheguem logo!! hahaha

      Excluir
  6. Nunca pensei em ler essa serie. A capa nao me agradou e eu julgo muito pela capa. MAssss ja ouvi muitas pessoas falando bem desses livros, e eles não são muito caros. Se um dia tiver tempo, leio. *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não sou a maior fã da capa desses livros, mas é sempre bom tentar não deixar a capa influenciar. Tente ler sim! :]

      Excluir