INÍCIO SOBRE PARCEIROS RESENHAS ENTREVISTAS CONTATO

domingo, 16 de setembro de 2012

Assassinato no campo de golfe

Uma carta de um desconhecido, com um pedido de socorro, leva o detetive belga Hercule Poirot e seu ajudante Hastings à França, em busca de respostas para uma série de perguntas. Qual seria a relação entre os dois assassinatos cometidos com um intervalo de mais de 20 anos? Qual a ligação entre a mulher de um misterioso milionário e sua amante? Qual a conexão entre um fio de cabelo, uma espátula ensangüentada, um cano de chumbo e um campo de golfe?

O detetive Poirot e seu amigo Hastings vão a uma pequena cidade da França a pedido de um misterioso milionário, que teme por sua vida. Ao chegarem lá, descobrem que o milionário foi encontrado morto naquela manhã. Sem perder tempo, Poirot quer ficar a par de todos os acontecimentos para descobrir quem está por trás do assassinato. 

Entre fragmentos de um cheque, possíveis amantes e uma briga feia com o filho, o detetive vai reconstruindo os últimos acontecimentos que envolveram o milionário. Para dificultar ainda mais o caso, outro corpo, de um desconhecido, é encontrado. Agora Poirot tem que juntar as evidências e correr contra o tempo para salvar um inocente e provar que o raciocínio consegue desvendar até os casos mais obscuros.

“Temos aqui uma verdadeira pista... uma pista... uma pista psicológica. Pode saber tudo a respeito de cigarros e fósforos, Sr. Giraud, mas eu, Hercule  Poirot, conheço a mente humana!”- Página 88. 

O livro é narrado em primeira pessoa, pelo Hastings. Ele registra suas impressões, as ações de Poirot e faz suas próprias descobertas. Ele tenta ajudar, mas não é muito bem sucedido. 

A estória conta com vários personagens e muitas reviravoltas. Quando tudo parece se encaixar, Poirot nos mostra que não é bem assim e apresenta um novo fato que passou despercebido. Com isso, o livro fica recheado de mistério e ação até as últimas páginas. 

“Método, entende, mon ami? É tudo uma questão de método. Ponha os fatos em ordem. Ponha as suas próprias ideias em ordem. E se algum pequeno fato por acaso não se ajustar, em vez de descartá-lo, examine-o ainda mais atentamente. Embora o significado dele possa lhe escapar no momento, fique certo que é importante.” – Página 115. 

6 comentários:

  1. Eu ainda não terminei de ler essa história, mas a autora é incrível e não deixo de me admirar com a atitude do detetive, Hercule Poirot, ficou legal a resenha. Abraços.

    http://www.ladomalucadeser.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Nunca li nenhum livro de suspense (vergonha), mas pretendo, a historia parece interessante e fiquei super curiosa para saber mais sobre o assassinato, ah tantos livros para ler em tão pouco tempo =/

    Beijos Bruna.
    Sweet Shyness

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tenho uma lista enorme Bruna, mas falta tempo! :(

      Excluir
  3. Oi Gabriela, tudo bem?
    O que dizer... Adoro Agatha! A mulher é incrível e o desfecho dos seus livros são surpreendentes.
    Lembro-me de já ter lido este e não conseguido descobrir o final, rs.
    Beijinhos,
    http://alanahomrich.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Alana!
      O final é surpreendente, né?
      Eu também não consegui descobrir não! haha
      Beijos

      Excluir
  4. ola , eu confesso que não gosto muito deste tipo de livro, mas fiquei empolgado para ler este.

    abrigado pela dica, achei linda a capa

    Luciano Barbosa
    do blog
    http://luciano-aod.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir