INÍCIO SOBRE PARCEIROS RESENHAS ENTREVISTAS CONTATO

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Tirinhas: homem ou mulher?

A tão aguardada sexta-feira chegou, e com ela o último dia de novembro. Para falar a verdade, estou bem feliz com a chegada de dezembro, pois são tantas datas bacanas, incluindo meu aniversário, haha e claro, as esperadas férias.
É nesse clima gostoso que venho mostrar a tirinha de hoje, enviada pela Paolla, que conheci através do blog e já se tornou uma amiga. Espero que vocês gostem! 
Beijos!

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Promoção de Natal: Entre Dois Mundos

Todo mundo adora uma boa promoção, né? Pensando nisso, a autora Lígia Miraglia resolveu ajudar o Papai Noel e presentear um sortudo com um exemplar do livro Entre Dois mundos + um Ipod Shuffle. Gostou? Então confira as regras e participe!


Regras

- Ter endereço de entrega no Brasil;
- Estar curtindo a fã page do livro;
- Compartilhar essa postagem
- Fazer com que um novo amigo curta a fã page (não vale descurtir e curtir a fã page)
- Comentar nessa postagem o nome do amigo

Atenção
Quanto mais amigos mais chances de ganhar, mas para que seja válido, só poderá fazer o comentário do amigo que JÁ ESTEJA CURTINDO A FÃ PAGE, e que seja APENAS UM DE CADA VEZ, comentários CHAMANDO AMIGOS serão desqualificados.

A promoção acaba no dia 20/12/2012 para que dê tempo do presente chegar até o natal!

Super fácil de participar. Boa sorte! :)

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Entrevista: Mariana Macedo

Gente, que saudade que eu estava de postar aqui. Quem acompanha o blog pelo facebook ( já curtiu?) sabe que eu tinha um milhão de trabalhos da faculdade para entregar. Depois de muitos finais de semana dedicados a eles, terminei tudo e já sinto o cheirinho das férias! Então, vamos comemorar, pois a frequência das postagens vai aumentar bastante! \o/

E para começar bem essa fase, trago uma entrevista com a autora Mariana de Macedo Miranda. Ela escreveu o livro Invenções e outras mentiras, e foi super fofa para responder a entrevista. Espero que vocês gostem.
Quando você descobriu que queria ser escritora?
Sempre tive uma ligação muito forte com a palavra. Desde muito pequena tinha a ingênua pretensão de dominar todas as línguas do mundo e, principalmente, entender a minha própria. Estudar Letras mais tarde foi apenas um reflexo desse amor pela linguagem. Nunca me vi fazendo nada que não fosse ligado às letras.

Quais são suas maiores inspirações literárias?
Para citar apenas alguns: Campos de Carvalho, Fernando Sabino, Verissimo, Julio Cortázar e Dalton Trevisan.

Você morou um tempo no Reino Unido. Essa experiência influencia seus textos?
Sem dúvida. Como tudo o que escrevo atravessa minhas vivências e a maneira como vejo as coisas, o período que passei na Inglaterra teve um peso enorme no meu processo de criação. Desde as pessoas e lugares que conheci, passando pelas experiências (trágicas e cômicas) que vivi, até a diferença da língua – que é uma coisa que particularmente sempre me fascinou – tudo contribuiu para enriquecer minha imaginação e amadurecer (ou tornar ainda mais ridículo, o que me traz o mesmo orgulho) meu texto.

Você encontrou muitas dificuldades quando resolveu “sair da gaveta” e publicar um livro?
Na realidade, não. Contei com o incentivo de amigos e com o voto de confiança da Editora Philae. Mas sei que normalmente não é tão fácil. Tive sorte por meu livro cair nas mãos de pessoas que amam a literatura e que devem ser ainda mais loucas que eu, pois apostaram em mim.

Sei que você já tem o projeto de publicar um novo livro. Conte um pouquinho sobre esse projeto.
Continuo escrevendo meus contos e crônicas, mas sem pressão alguma em relação a volume de material ou data para finalizar. Escrevi, também, um infantil. Este, mais uma vez, confiei a meu amigo e fiel escudeiro Rafael Inácio – que desenhou a capa e todas as ilustrações de “Invenções e Outras Mentiras”. Agora é com ele, e confio, de olhos fechados, que o resultado será lindo. Quanto à publicação, nada é certo. Mas a gente não pode nunca deixar de investir no que nos dá prazer. O resto é conseqüência de trabalho, paixão e sorte.

Os personagens de “Invenções e outras mentiras” são peculiares, mas estão inseridos em situações corriqueiras que fazem o leitor se identificar. Como eles surgiram? Foram baseados em seus conhecidos?
Foram baseados em conhecidos, sim. Mas eu não restringiria esses “conhecidos” somente a pessoas. Sensações, situações, devaneios e pessoas são os principais elementos com que construo meus personagens. Um conto que fala de um quarto em que as paredes são cheias de emoções pode ser baseado em alguém; da mesma maneira, a história de um homem fracassado pode apenas esconder uma angústia, ou mesmo o hábito incorrigível que tenho de rir de meus problemas.

Você tem alguma dica para os futuros escritores?
Todo leitor é, também, um escritor. Cada pessoa que leu meu livro, por exemplo, leu um livro diferente. Isso quer dizer que há sempre uma co-autoria na literatura. A gente transforma e molda o texto com nosso olhar. Acho que no fundo somos todos escritores, a diferença é que alguns sentam e escrevem. Outros pintam. Outros tantos fazem música. Muitos apenas contam casos em mesas de bar. O importante, como já disse, é fazer o que nos dá prazer. E se o seu prazer reside em vestir as ideias com palavras, tenho dois conselhos simples mas muito valiosos. O primeiro é essencial: leia. Leia muito, leia tudo, ame, odeie, critique, mas leia. E, não menos importante, escreva. Escreva, apague, reescreva, se envergonhe, rasgue as folhas, jogue tudo fora, quebre o laptop... Mas, no dia seguinte, sente-se e escreva novamente. Assim mesmo. Sempre. E para sempre.

Deixe um recado para os leitores.
Agradeço aos leitores do blog por se interessarem em uma entrevista com uma autora desconhecida e, sobretudo, por dividirem comigo o amor pela leitura. Os livros são tão democráticos porque não importa sua preferência, sempre haverá autores e estilos que se encaixarão no seu gosto e, portanto, nas suas prateleiras. E espero que elas estejam cada vez mais cheias e pesadas.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Decoração: Esperando o Natal

Falta pouco mais de um mês para o Natal, mas o clima natalino já está por todo lugar: lojas, shoppings e ruas. Eu adoro o natal e já comecei, com ajuda do fofo do meu irmão, a arrumar a decoração lá de casa. Em busca de inspirações, encontrei váaarias opções de árvores, e como sei que nem todo mundo tem ou gosta da árvore tradicional, vim mostrar algumas árvores criativas e charmosas.

Tentei selecionar modelos fáceis de fazer em casa, reaproveitando objetos. Gostei muito dessa que utiliza caixas, ficou linda. Outra árvore que ficou super delicada é a que foi feita com jornais.

Gostaram das inspirações? Quem já entrou no clima do Natal? o/

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

A Escolha de Sócrates



Em um futuro distópico próximo, mas indeterminado, o Rio de Janeiro pós caos ambiental, acompanhamos a saga de Constâncio em sua busca pelo entendimento das escolhas éticas de Sócrates. Enquanto se aprofunda nos conhecimentos proibidos da filosofia de Sócrates e Platão, tem que fazer sua próprias escolhas na sua luta pela sobreviver em uma sociedade em ruínas. O romance de estreia de Claudio Telles, traz à tona a discussão do nosso papel ético nas transformações causadas pelo homem. Foi contemplado com o Edital Novos Autores Fluminenses. 
Fonte: http://www.travessa.com.br




O que mais me chamou atenção em “A Escolha de Sócrates” foi o fato de o livro ser uma distopia brasileira. As distopias estão sendo muito exploradas atualmente, mas, até então, eu nunca tinha lido uma que tivesse as cidades brasileiras como plano de fundo. Ponto positivo para o autor.

A história começa no Rio de Janeiro, em um futuro distante ou não. A cidade está em ruínas, e é controlada pelo Conselho. Os moradores trabalham o dia inteiro e depois vão direto para casa, com medo dos horrores trazidos pela noite. Tudo isso é culpa da tragédia que exterminou os Antigos e transformou o mundo em um lugar com péssimas condições de vida. A escassez de alimentos e de pessoas é preocupante e a esperança, quase inexistente.

É nesse cenário que vive Constâncio, nosso protagonista. Ele trabalha nas minas de ossos desde sempre e, para esquecer seu sofrimento, passa as noites lendo escondido. Saber ler não é oficialmente proibido, mas os livros não são vistos com bons olhos e, dependendo do seu conteúdo, podem condenar a pessoa a trabalhar para sempre nas minas de água salgada. A morte seria um destino melhor, mas suicido também é proibido, afinal o Conselho precisa de trabalhadores. 
“Poucos sabiam ler, e escondiam seu segredo. Não era proibido ler, todavia poderia ser considerado subversivo pelo Conselho.” Página 15
Quando um livro proibido sobre Sócrates cai em suas mãos, Constâncio escolhe fugir para o vazio antes que o Conselho o condene a um destino cruel. Durante sua jornada ele conhece lugares e pessoas, sempre buscando compreender a escolha de Sócrates.

O livro é narrado em terceira pessoa, por um narrador onisciente. No começo, eu estranhei bastaste a falta de diálogos no livro, pois todas as falas direcionadas ao Constâncio são respondidas pelo narrador, em terceira pessoa. Depois de alguns capítulos, peguei o ritmo da leitura e perdi a sensação de estranheza. 

Outra característica: o livro conta com descrições longas e devaneios do personagem. Com isso, a leitura torna-se um pouco cansativa, mas condizente com a proposta do livro. A história é densa, cheia de reflexões e mostra ao leitor o valor e as consequências de uma escolha. É um livro diferente dos que eu geralmente leio, que me fez ficar pensando na história. Eu gostei e indico para quem quer sair da zona de conforto dos livros leves. 

Agradeço à Editora Philae pela oportunidade de conhecer o livro.
“Pepe acusava o Conselho, não de culpa, mas de ilegitimidade. Se os Antigos haviam sido mesmo incompetentes em sua capacidade de fugir de uma tragédia anunciada, e por eles mesmo produzida, então o poder político deles emanado até os Conselhos era contestável.” Página 115 

Tirinhas: Por dentro da imaginação

Oii pessoal! Curtiram bastante o feriado?
Hoje eu trouxe novamente uma tirinha do Calvin, porque me identifiquei muito com a situação. Quem nunca fantasiou uma história completa a partir de um simples acontecimento? Sempre acontece! haha
Prometo que a tirinha da semana que vem vai ser de outro personagem! 
E fiquem de olho, mais tarde tem resenha nova! o/
Beijos

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Lançamentos de novembro: Novo Conceito

Bom dia! Semana começando com previsão de feriadão é tudo de bom, né? 
Quem tá procurando dica de leitura vai adorar os lançamentos de novembro da editora Novo Conceito. :)

Lola e o Garoto da Casa ao Lado
A designer-revelação Lola Nolan não acredita em moda… ela acredita em trajes. Quanto mais expressiva for a roupa — mais brilhante, mais divertida, mais selvagem — melhor. Mas apesar de o estilo de Lola ser ultrajante, ela é uma filha e amiga dedicada com grandes planos para o futuro. E tudo está muito perfeito (até mesmo com seu namorado roqueiro gostoso) até os gêmeos Bell, Calliope e Cricket, voltarem ao seu bairro. Quando Cricket — um inventor habilidoso — sai da sombra de sua irmã gêmea e volta para a vida de Lola, ela finalmente precisa conciliar uma vida de sentimentos pelo garoto da porta ao lado.






A Aprendiz
Sozinha entre todos os aprendizes do Clã dos Magos, somente Sonea vem de uma classe menos privilegiada. No entanto, ela ganhou aliados poderosos, como Lorde Dannyl, recentemente promovido a Embaixador. Ele terá, agora, de partir para a corte de Elyne, deixando Sonea à mercê dos boatos maliciosos e mentirosos que seus inimigos continuam espalhando... até o Lorde Supremo entrar em cena. Entretanto, o preço do apoio de Akkarin é alto porque, em troca, Sonea deve proteger seus mistérios mais sombrios. Enquanto isso, a ordem que Dannyl está obedecendo, de buscar fatos sobre a longa pesquisa abandonada de Akkarin sobre o conhecimento mágico antigo, o está levando a uma extraordinária jornada, chegando cada vez mais perto de um futuro surpreendente e perigoso.


Postais do Coração
Saffy tem um trabalho incrível em uma agência de propaganda em Dublin. Ela tem sua difícil mãe a uma distância segura. E ela acredita que seu namorado ator Greg — o próximo Colin Farrell — finalmente irá pedi-la em casamento. Conor admira a linda Jess. Mas depois de sete anos e gêmeos, ela ainda não se casará com ele. Ele passa os dias ensinando adolescentes terríveis e as noites escrevendo o livro que espera que mude tudo — inclusive a mente dela. Mas está difícil de alcançar finais felizes...









A Sabedoria do Condado
Um guia do Hobbit para a vida de milhões de fãs do J.R.R. Tolkien. Smith mostra que uma toca-hobbit é, na verdade, um estado de espírito e como até as menores pessoas podem ter o valor de um Cavaleiro de Rohan. Ele explora assuntos importantes para os hobbits, como cerveja, comida e amizade, mas também assuntos mais sérios, como coragem, vida em harmonia com a natureza e bem versus mal. Como prazeres simples como jardinagem, longas caminhadas e refeições deliciosas com amigos podem fazer você significativamente mais feliz? Por que o ato de dar presentes no seu aniversário em vez de recebê-los é uma ideia tão revolucionária? E como podemos carregar nosso próprio “anel mágico” sem sermos devorados por ele? "A Sabedoria do Condado" tem a resposta para essas perguntas.


A Luz Através da Janela
A Segunda Guerra Mundial deixou muitos destroços e segredos familiares principalmente na família de Emilie, os De La Martinières. Quando sua mãe faleceu, deixando o legado do château da família para ela, a única herdeira, Emilie fica devastada e quer vender tudo para que possa voltar à sua rotina comum de veterinária. Entretanto, Sebastian Carruthers aparece em sua vida para ajudá-la a cuidar de toda a documentação e a consola nos momentos mais difíceis. Emilie se apaixona pela sua gentileza e decide se casar com ele. Assim, ela se muda para a casa do marido, Blackmoor Hall, em Yorkshire. Contudo, a vida que ela, ingenuamente, pensa estar começando bem, trará a ela muitas surpresas e revelações do presente e do passado de toda uma geração.




Por um Momento Apenas
Durante 36 anos, Marcus Sullivan fora o irmão mais velho, ajudando a cuidar de seus sete irmãos após a morte do pai, quando ainda eram crianças. No entanto, quando o futuro perfeito que ele planejara para si próprio transformou-se em nada além de uma mentira, Marcus precisa de uma noite de loucura para se esquecer de tudo.
Nicole Harding é conhecida no mundo todo por apenas um nome — Nico —, graças à sua música pop contagiante. No entanto, o que ninguém sabe sobre essa cantora de 25 anos é que sua imagem de símbolo sexual é totalmente falsa. Depois de ter sido terrivelmente traída por um homem que amava a fama mais do que a ela, jurou nunca mais deixar ninguém se aproximar a ponto de descobrir quem ela realmente é... ou de magoá-la novamente.
Principalmente aquele homem maravilhoso que Nicole conhecera em uma boate, ainda que o desejo — e as promessas transgressoras — em seus olhos negros a fizessem querer revelar todos os seus segredos. Uma noite é tudo o que Nicole e Marcus concordam em compartilhar um com o outro. Contudo, nada acontece como planejado quando, em vez de uma simples relação carnal, descobrem-se ligados de uma forma pela qual nenhum dos dois esperava. E, embora tentassem lutar contra isso, os sentimentos incontidos — e a atração profunda — os aproximava cada vez mais.
Bella Andre nos presenteia com o segundo volume desta série sensual e romântica, em que o amor pode tornar um simples encontro algo quente para sempre...

Laços Inseparáveis
A autora de cinco romances de sucesso, Emily Giffin, lança uma história inesquecível de duas mulheres, as famílias que a fazem ser quem são, e a lealdade e o amor que as ligam. Marian Caldwell é uma produtora de televisão de 36 anos, vivendo seu sonho em Nova York. Com uma carreira bem-sucedida e um relacionamento satisfatório, ela convenceu todo mundo, inclusive si mesma, que sua vida está do jeito que ela deseja. Mas uma noite, Marian atende a porta... para apenas encontrar Kirby Rose, uma garota de 18 anos com a chave para o passado que Marian pensou ter deixado para trás para sempre. Desde o momento que Kirby aparece na sua porta, o mundo perfeitamente construído de Marian — e sua verdadeira identidade — será chacoalhado até o fim, fazendo ressurgir fantasmas e memórias de um caso de amor apaixonado que ameaça tudo para definir quem ela realmente é. Para a precoce e determinada Kirby, o encontro vai provocar um processo de descobrimento que a leva ao começo da vida adulta, forçando-a a reavaliar sua família e seu futuro com uma visão sábia e doce. Enquanto as duas mulheres embarcam em uma jornada para encontrar o que está faltando em suas vidas, cada uma irá reconhecer que o lugar no qual pertencemos normalmente é onde menos esperamos — um lugar que talvez forçamos a esquecer, mas que o coração se lembra eternamente.


sábado, 10 de novembro de 2012

Ilustração: Ilse Valfré

Já tem um tempo que conheci o trabalho da mexicana Ilse Valfré e fiquei encantada, mas acabei esquecendo de postar aqui. Sei que vocês adoram conhecer novos artistas, então antes tarde do que nunca, né?!

Ilse começou a carreira como modelo e hoje é ilustradora. Seus desenhos geralmente retratam garotas em situações corriqueiras de forma divertida e com traços fortes.

As ilustrações de Ilse contam com características marcantes como olhos expressivos e frases criativas. A influência da moda também é muito presente em suas ilustrações. Aposto que muita gente já viu alguma ilustração dela em site de inspiração ou no layout de algum blog.   

Para conhecer melhor o trabalho dela, visite o site.
Essas ilustrações ficariam lindas como estampa de camisetas! Qual vocês mais gostaram?

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Nove Dragões


A nova aventura do personagem mais famoso de Michael Conelly, o detetive Harry Bosch, se passa agora em Kowloon, que significa Nove Dragões, região mais populosa de Hong Kong e título do romance policial do escritor norte-americano. O livro é a primeira aventura do personagem mais famoso de Michael Conelly desde O Mirante, de 2008. Acompanhado de seu parceiro Ignacio Ferras, Bosch está a cargo de uma investigação que parece rotineira, seguindo a pista do assassino do senhor Li, dono de uma loja de bebidas num gueto de Los Angeles. David Chu, policial de origem chinesa com experiência junto às gangues de imigrantes asiáticos da cidade, é chamado a colaborar - e, de fato, uma quadrilha com ramificações do outro lado do oceano parece estar envolvida no crime. No meio da investigação, um telefonema ameaçador e uma mensagem em vídeo fazem com que o caso se torne pessoal para o detetive: as imagens foram registradas em Hong Kong e quem aparece nelas é Maddie, a filha dele que mora lá com a mãe, sua ex-mulher Eleanor. A relação de Bosch e Eleanor é estremecida e ele só vê a filha duas vezes por ano. Agora, ela foi sequestrada, a polícia local não deu muita importância e o pai não tem escolha senão pegar o primeiro avião e se aventurar pelo território chinês. Forçado a agir fora do ambiente que conhece para salvar a filha, Bosch protagoniza uma trama com elementos trágicos e reviravoltas surpreendentes.
Ganhei esse livro em um sorteio e comecei a ler sem saber o que esperar. Confesso que gostei bastante da escrita do autor, e que fiquei curiosa para ler outras histórias com o detetive Bosch.

Harry Bosch é um respeitado detetive de Los Angeles, apaixonado por seu trabalho. Sua única família é sua filha Maddie, que mora em Hong Kong e passa pouco mais do que 3 semanas por ano com ele. Sem ter ninguém com quem se preocupar em tempo integral, Bosch se dedica ao máximo em todos os casos, tornando-se um dos melhores no que faz.

Ao ser designado para a investigação de um caso aparentemente concluído, Bosch percebe que o assassinato envolve mais do que apenas um furto. Determinado a descobrir a real causa do crime, o detetive se envolve com o que parece ser uma perigosa tríade asiática e vê sua vida desmoronar quando sua filha é sequestrada. Que consequências os atos de Bosch irão provocar?
“- Você acha que ele escondeu alguma coisa da gente?
-É o que pretendo descobrir.” Página 40

O começo do livro me lembrou bastante esses filmes policiais que eu adoro. O caso que parecia não ter importância, o detetive solitário, a descoberta de um crime da máfia, um sequestro. A partir daí, Conelly fugiu da mesmice, e trouxe o inesperado para a história. Primeiro, ele leva o protagonista para Hong Kong, sem que esse conhecesse praticamente nada da cidade. Depois, surpreende o leitor a cada novo capítulo, instigando sua curiosidade. 

Eu nunca tinha lido nenhum livro que abordasse a cultura asiática. Gostei bastante de ir conhecendo os costumes junto com o personagem. Como eu disse, o autor causou uma ótima primeira impressão. Recomendo o livro para quem gosta de uma leitura cheia de ação e suspense.

“O que deixou Bosch mais perturbado foram as caixas de cereal. Eram todas da mesma marca, e na frente da caixa havia o desenho de um panda sorridente diante de uma tigela cheia de flocos de arroz cintilando com açúcar, como um tesouro. Era cereal para crianças.” Página 280 
Hey queridos, como vocês estão?
Quem curte o blog lá no face (curte aí!) sabe que eu estou um pouco sumida devido aos váarios trabalhos da faculdade. Prometo que logo eu volto a postar com mais frequência, tá? Fiquem de olho, pois em breve teremos novidades! 

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Tirinhas: Um pouco de ócio

Oii pessoal! Passei aqui para postar a tirinha de hoje. Diferente do Calvin, eu aproveitei o feriado para limpar o meu quarto! Agora, não quero mais tenho nada para fazer. haha.
  Bom feriado e ótimo final de semana para vocês!
Beijos