INÍCIO SOBRE PARCEIROS RESENHAS ENTREVISTAS CONTATO

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Tirinhas: Vai ser melhor?

Última tirinha do ano! 2013 está logo ali e muita gente deseja que a vida melhore, que os problemas terminem e que o ano traga bons frutos. O que quase ninguém percebe é que não adianta o ano mudar e as pessoas não. Promessas e intenções só valem se forem cumpridas. 

Desejo a todos vocês um ano cheio de realizações.
Beijos

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Decoração: É ano novo!

Oii pessoal, como passaram o Natal? Desculpem o meu sumiço, mas aproveitei esses dias para curtir minha família. Como a virada do ano está chegando e tem muita gente que vai receber os amigos e familiares em casa, eu trouxe algumas inspirações de decoração para vocês. A maioria é simples e não requer muito esforço para ser feita.  Também peguei algumas inspirações de doces. 

 
Todas as imagens foram tiradas do Pinterest. Vocês vão encontrar muita inspiração por lá!

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Wishlist de Natal

Falta menos de uma semana para o Natal e muita gente ainda não decidiu como vai presentar as pessoas queridas. Preparei uma seleção com livros de diferentes gêneros, e espero que ajude quem está procurando uma opção de presente. 
Sob a Redoma - Desaparecido para sempre - Seis túmulos para Munique - Feche bem os olhos 
Entre os autores de suspense e ficção policial, já li Harlan Coben e Mario Puzo. Ambos escrevem com maestria e conquistam o leitor desde as primeiras páginas. Stephen King é reconhecido mundialmente por seu talento. Infelizmente, ainda não tive a oportunidade de ler nenhuma obra dele, mas espero ler em breve. Quanto ao livro de John Verdon, fiquei extremamente curiosa ao ler a sinopse. 
Morte Súbita - Charlotte Street - O Circo da Noite - Quem tem medo de Escuro?
Apesar da estranha tradução do título e da capa extremamente chamativa, acredito que todos os fãs de J.K. Rowling estão ansiosos para conferir Morte Súbita. Já li várias resenhas positivas tanto de Carlotte Street, quanto de O circo da noite, sem contar que ambos possuem capas super bem feitas. São ótimas opções de presentes. Sidney Sheldon é um dos meus autores preferidos, seus livros são envolventes e instigantes. Impossível parar de ler.
Nunca achei que iria gostar de Jogos Vorazes, mas me surpreendi. A Trilogia leva o leitor a um outro mundo, mas levanta questões bem atuais. As Crônicas de Gelo e Fogo conquistaram inúmeros fãs e a cada dia vejo mais opiniões positivas. Sherlock Holmes consegue resolver até os mais improváveis casos a partir da observação, sempre proporciona uma ótima leitura. Quanto a trilogia Cinquenta tons de cinza, já li as mais diversas opiniões, mas acredito que é super válido cada um ler antes de expressar uma opinião.
Jogando xadrez com os anjos - A rainha que virou pizza - O rosto que precede o sonho - Um lugar na Janela
E não poderia faltar a nossa querida literatura nacional. Jogando xadrez com os anjos, da nossa autora parceira Fabiane Ribeiro, está de capa nova. A edição ficou ainda mais linda. A rainha que virou pizza é uma coletânea de crônicas sobre sobre as preferências culinárias dos personagens famosos de diferentes épocas. O rosto que precede o sonho é o mais novo livro do nosso autor parceiro Mauricio Gomyde. Já li muitos comentários positivos sobre a Martha Medeiros e fiquei bem curiosa para ler esse livro, onde ela relata suas experiências em diversas viagens que fez ao redor do mundo.

Quem tem mais dicas de livros? Deixe nos comentários!

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

O Contrário de Roma



Em uma pequena cidade, a população se divide em grupos que disputam pela honra de ter mais honra, vivendo entre as críticas feitas por todos sobre os outros, em uma contínua disputa pelo direito de se dizer mais direito. Nesta pequena comunidade, um jovem rapaz se apaixona perdidamente pela imagem de uma garota a qual nunca vira antes, e que perde de vista. Ao longo de alguns capítulos curtos e quebrados, o rapaz terá de descobrir quem é esta garota por quem se apaixonou, como conquistá-la, e como poderia viver com os preconceitos de sua comunidade.




A cidadezinha Romaria é berço de um povo divido por suas crenças. É lá que vive o personagem principal, que não acredita na igreja Católica e leva uma vida sem grandes responsabilidades. Seus dias se dividem entre pescar e assistir televisão. 

Sua vida muda quando ele se apaixona por um rosto. Ele não sabe nada sobre a garota, mas não consegue parar de pensar nela. Quando percebe que está ficando obcecado, resolve tentar encontrá-la e para isso segue a única pista que tem: a garota frequenta a Igreja.

Ele passa a esperar o final da missa todos os dias, na esperança de vê-la. Sem saber o nome da garota, ele pensa nela como Vela, pois seu rosto iluminava tudo ao redor. Durante um tempo ele não tem sucesso, mas persiste em esperar. Enquanto espera, divaga sobre o que vai fazer quando encontrar Vela e percebe que suas chances de conquistá-la são pequenas. É aí que o inesperado acontece.

O livro é narrado em primeira pessoa. O autor fez muito uso da linguagem coloquial, e isso me aproximou um pouco do personagem. O fato de o personagem conversar diretamente com o leitor (ou seja, comigo) também ajudou a criar certa empatia. Porém, acredito que alguns erros poderiam ter sido evitados.

O Contrário de Roma me surpreendeu positivamente. É um livro que levanta algumas questões e mostra que pessoas com diferentes crenças podem ter um bom relacionamento. Gostei bastante do final, e fiquei curiosa para saber o que acontece com os personagens.

Agradeço ao autor pela oportunidade de conhecer o livro.
 "Não havia porque pensar que seria impossível. Não havia porque pensar que ela não poderia gostar de mim. E, finalmente, eu percebi um detalhe um tanto quanto importante: ela me convidou para vir com ela." Página 87

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Tirinhas: Posta no Instagram!

Quem tem Instagram? Postar fotos de acontecimentos, relevantes ou não, já virou rotina para muita gente. Confesso que eu também adoro o aplicativo e me divirto vendo o que as pessoas postaram. Mas entre as fotos bacanas e relevantes, existem sempre aquelas sem sentido, né? É sobre isso que a tirinha de hoje ironiza.
Bom final de semana!
Beijos

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

As esculturas criativas de Carl Kleiner

Quando entrei no facebook hoje de manhã, me deparei com a foto de uma zebra esculpida em uma berinjela. Achei o trabalho genial e fui pesquisar sobre a obra criativa. Descobri que a zebra faz parte de uma série de esculturas criadas e fotografadas pelo artista Carl Kleiner. 

Para produzir as esculturas Kleiner usou apenas frutas e vegetais. A zebra e o leão foram os meus favoritos. E vocês, gostaram de qual escultura?

O site do artista está recheado de trabalhos interessantes. Vale a pena conferir.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

The Mentalist


Sinopse:
Patrick Jane é famoso por sua habilidade de alta percepção de tudo que está ao seu redor. Ele já quase foi uma celebridade, alegando ser médium vidente, mas agora admite que fingia ter poderes paranormais. Com sua grande habilidade de observação, Patrick trabalha como consultor independente para as autoridades da Califórnia, resolvendo um número considerável de crimes complicados. Todos no departamento reconhecem o seu mérito em solucionar uma série de casos difíceis - mas nem todos são fãs de suas atitudes, como a agente Teresa Lisbon, que resiste em tê-lo na sua unidade. Saber que Patrick é indispensável para a equipe torna ainda mais difícil para Teresa ter que conviver com seu jeito narcisista, já que ele sempre vai contra o protocolo e ultrapassa sérios limites durante as investigações. Nesta equipe, também estão os agentes Kimball Cho, Wayne Rigsby e a novata Grace Van Pelt, que reconhece que Patrick é descontrolado, apesar de admirá-lo por seu charme e sua habilidade em resolver os casos críticos.

Sei que The Mentalist já está na quinta temporada, mas acho a dica válida. Confesso que no começo torci o nariz para começar a assistir, mas, depois de muita insistência do meu namorado, acabei dando uma chance a série. Sábia decisão. Viciei, já assisti a primeira temporada inteira e passei grande parte do final de semana assistindo a segunda temporada.

A série mostra o dia-a-dia de uma equipe de investigações comandada pela agente Lisbon. Entre os integrantes da equipe está Patrick Jane, o mentalista. Ele é mestre em observar o comportamento e as atitudes das pessoas. Além disso, ele identifica detalhes relevantes e geralmente aponta a direção correta para a resolução do caso. Patrick chegou a usar essa habilidade fingindo ser médium, mas hoje dedica seu tempo exclusivamente aos casos.

Jane é extremamente competente, mas para conviver com ele é preciso ter paciência. Ele utiliza métodos pouco tradicionais e não se importa de quebrar algumas regras para conseguir uma confissão. Ou seja, ele sempre faz a maior bagunça, que sobra para a agente Lisbon arrumar. Ele arruma cada confusão, que é impossível não se divertir.

Durante os episódios nós acompanhamos, em paralelo com cada novo caso, a busca de Patrick por Red John, serial killer que deixou duras marcas em sua vida. Patrick não consegue se controlar e, a cada nova pista, fica obcecado em capturar o assassino  Essa busca por vingança justiça torna Patrick um alvo fácil de ser manipulado, quando o assunto é Red John.

Os outros personagens também são bem desenvolvidos. No final da primeira temporada são apresentados alguns fatos da vida pessoal de cada um, o que torna a série ainda mais interessante. Super recomendo a série, principalmente para quem gosta de séries policiais. Quem já assistiu a série?


Trailer:

Exibição:
Brasil - Segunda 22h00 - Warner

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Tirinhas: Oscar Niemeyer

Acredito que todo mundo sabe que o arquiteto Oscar Niemeyer faleceu essa semana. Eu sempre admirei o seu trabalho e sempre quis conhecer suas obras. Na verdade eu sempre imaginei que um dia iria assistir a uma palestra dele, mas enfim...
A coluna Tirinhas de hoje presta uma singela homenagem à esse brilhante arquiteto, que deixou sua marca no mundo.
Por Maurício de Souza
Por Dálcio 

Por Aroeira
Por Quinho

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Entrevista: Paolla Milnyczul

Vamos começar o dia com uma entrevista? 
Paolla Milnyczul é autora e também blogueira. Atualmente ela escreve nos blogs Licor de Amora e Infinito de Plástico e é uma das administradoras da página Viva la Vida. Seus textos são muito característico e transbordam sentimentos. Espero que vocês gostem!


Quando você começou a escrever?
Acho que devo ter nascido escrevendo, de tanta identificação que tenho com a escrita desde criança. Mas não há uma época certa. Sempre gostei de colocar o que eu penso, acho ou sinto no papel. Não importa de que modo, se em forma de poesia, poema, desabafo, crônicas, contos, o que importa para mim é escrever e me exteriorizar. Sempre falo que não escrevo, eu exteriorizo o que existe dentro de mim! Escrever pra mim é meio que um jeito de me entender, de não ficar encarcerada dentro de mim, de me libertar e transbordar.  Sempre tive essa necessidade de escrever, porque sempre foi difícil eu falar o que sinto. Então eu escrevo. 

Quais são suas inspirações literárias?
Vários, mas a Martha Medeiros com certeza se encontra no topo da lista. Mas posso citar alguns outros que sempre me inspiraram: Sidney Sheldon, Jorge Amado, Clarice Lispector, Mário Quintana, Cecília Meireles, Carlos Drummond de Andrade, Manoel de Barros, Fernando Pessoa.

O blog Licor de Amora surgiu pela necessidade de divulgar seu trabalho? 
Não. O blog surgiu como um modo de me expressar, mas não necessariamente para divulgar o meu trabalho, isto aconteceu naturalmente sem eu precisar forçar nada. Ele surgiu quando eu estava numa época meio complicada, conturbada, e então uma grande amiga minha, a Karen, sugeriu que eu fizesse o blog para eu poder falar tudo aquilo que estava incomodando naquele momento. Deu certo, aos poucos ele foi crescendo, e como sempre gostei de escrever continuei com o blog e hoje, passado pouco mais de um ano do seu surgimento, não consigo me ver sem ele, é quase uma extensão de mim. Ele foi a maneira que eu achei de me expressar naquele momento, e continua sendo. 

Conte um pouco sobre o projeto de lançar seu primeiro livro
Então, tenho este projeto já há algum tempo, mas eu não tinha encontrado o meu estilo, então sempre era difícil para mim aceitar o que eu escrevia, sempre achava que não era tão bom, e desistia porque acabava me desestimulando muito. Depois que eu encontrei meu jeito de escrever, é bem mais fácil e também mais gostoso produzir. Porque não existe só uma maneira de escrever, existem várias maneiras, e cada autor encontra a sua. Meu livro será uma compilação das minhas melhores crônicas, prosas e poesias, ainda não tem título, mas está mais perto do que longe de ser concluído. Mas ainda não tenho previsão nem data para lançamento.


Atualmente você tem outro projeto em andamento, o blog Infinito de Plástico, que traz semanalmente um novo capítulo da história de Chica e Fábio. Conte um pouquinho de como está sendo essa nova experiência.
Sim, estou. O Infinito de Plástico é um blog no estilo folhetim, que conta a história de dois protagonistas, a Chica e o Fábio, e mostra uma ‘guerra fria’ num relacionamento conturbado e deteriorado sob a ótica de cada um. Surgiu em parceria com o Hugo Dalmon, um amigo meu muito querido, também blogueiro e escritor. Como nos identificamos bastante no jeito de escrever, de sentir e ver a vida, e o Hugo tinha este projeto engavetado, ele me propôs fazermos em conjunto e deu certo.   
A experiência de ‘viver’ um personagem como o Fábio está sendo bem interessante, porque a cabeça das mulheres e a dos homens são muito diferentes. Por sorte, sempre estive muito perto do universo masculino, tenho um irmão do qual eu sou muito próxima, e sempre tive muitos amigos do sexo masculino. Então para mim não é tão difícil vestir a camisa deste personagem que é o Fábio. Mas está sendo uma experiência única, é bem diferente de tudo que eu já fiz até agora, e eu estou adorando, é fascinante viver este personagem!

Como surgiu a página Viva la Vida? 
Então, a página já existia! Ela é de uma amiga minha, a Raquel Magno, e como eu escrevo, eu meio que me convidei a fazer parte da página e ela aceitou, e estou lá desde quase o seu começo, então é meio que minha também. Dá certo porque nós nos completamos, a Raquel é toda romântica, eu não sou tão romântica, sou mais realista, então dá um contrabalanço interessante.  Além de ser relaxante e um hobby, também me ajudou muito a difundir meu trabalho e meus escritos, e tenho muito a agradecer a Raquel pela oportunidade que ela me deu e continua dando. 

Qual a sua dica para os futuros escritores?
Leia. Nunca deixe de ler. Lendo, se aprende a ver o mundo pela ótica dos outros e isso é muito importante para expandir os horizontes, e isso é uma das coisas que todo escritor deve ter: horizontes abertos e de preferência ampliados. E procurar seguir seu próprio estilo, e não copiar o estilo de outra pessoa. Claro que tudo tem a sua influência, mas procure deixar a sua marca. E fazer o que gosta, o que dá prazer, não escrever por escrever, mas escrever por gostar de escrever, isso é o mais importante quando se faz qualquer coisa na vida. 

Deixe um recado para os leitores.
Eu gostaria de agradecer aos leitores do blog por estarem aqui lendo esta entrevista, por se interessarem pelos meus projetos e pelo que eu escrevo, e por compartilharem comigo todo esse amor e apreço pela leitura, escrita, arte e cultura em geral. Espero que a vida de todos esteja sempre recheada de poesias, e que este recheio transborde diariamente. 

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

31 Profissão Solteira


Consuelo Aldunate parece ter tudo o que uma mulher quer: independência financeira, um bom grupo de amigos, um trabalho divertido, um guarda-roupa invejável e um apartamento top. Mas Consuelo quer uma coisa que para muitas mulheres pode soar básico. Um acessório difícil de conseguir, embora pareça estar em toda parte: um homem. Exigente, ela não quer qualquer homem; quer um próprio, privatizado e que possa mostrar a todos. Por isso arregaça as mangas e sai à procura de um namorado por todos os lugares onde possa haver homens interessantes e disponíveis. Nessa busca, entre drinques e encontros insólitos, a anti-heroina vai descobrindo que é difícil deixar de ser solteira. Com humor inteligente, a personagem mostra que por mais que esteja na moda ser single, há momentos em que daria tudo para ter alguém esperando por ela em casa.

Fonte: Skoob

O livro é composto por crônicas que fizeram parte da coluna Trinta e um, na chilena Revista Ya. As crônicas mostram o dia-a-dia da protagonista Consuelo Aldunate, e são narradas em primeira pessoa. Como as crônicas são lineares, é possível perceber o amadurecimento de Consuelo e a leitura não se torna cansativa. 

Consuelo é independente, tem um bom emprego e dois amigos fiéis. Só falta um detalhe para sua vida tornar-se perfeita: um namorado apaixonado. Na sua busca pelo pretendente perfeito, Consuelo passa por várias situações cômicas e constrangedoras, oscila entre pensamentos positivos e atitudes desesperadas e nunca perde as esperanças.
“Quero chegar em casa, tirar meus sapatos e conversar com alguém sobre o trânsito irritante; comentar a manchete de La Segunda, sempre meio escandalosa.” Página 31
A personagem é tão emocionalmente frágil que acabei me afeiçoando a ela. Claro, ela sempre me irritava com suas indecisões e neuras, mas eu a perdoava. Até me identifiquei com alguns momentos. Que mulher nunca comprou vários produtos de beleza de uma vez, só para aumentar a autoestima? Acontece.

É interessante ver como a Consuelo aprende a se valorizar e percebe que, vez ou outra, nós somos nossa melhor companhia. No final do livro estão incluídas algumas matérias escritas pela autora, todas sobre o mundo e as características das solteiras. Uma observação: Em alguns momentos, Consuelo estava desesperada de mais. Achei exagero. A personagem já era engraçada por si só.

Enfim, o livro é leve e agradável. Encontrei uns errinhos, mas nada de mais. A autora conseguiu mostrar esse mundo em que as solteiras vivem de forma divertida. 

Agradeço à Primavera Editorial pela oportunidade de conhecer o livro.
“Então pensei em ligar para ela para lhe perguntar se alguma entre todas aquelas maravilhas servia para maquiar o coração.” Página 193