INÍCIO SOBRE PARCEIROS RESENHAS ENTREVISTAS CONTATO

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

O melhor de mim


Na primavera de 1984, os estudantes Amanda Collier e Dawson Cole se apaixonaram perdidamente. Embora vivessem em mundos muito diferentes, o amor que sentiam um pelo outro parecia forte o bastante para desafiar todas as convenções de Oriental, a pequena cidade em que moravam. Nascido em uma família de criminosos, o solitário Dawson acreditava que seu sentimento por Amanda lhe daria a força necessária para fugir do destino sombrio que parecia traçado para ele. Ela, uma garota bonita e de família tradicional, que sonhava entrar para uma universidade de renome, via no namorado um porto seguro para toda a sua paixão e seu espírito livre. Infelizmente, quando o verão do último ano de escola chegou ao fim, a realidade os separou de maneira cruel e implacável. Vinte e cinco anos depois, eles estão de volta a Oriental para o velório de Tuck Hostetler, o homem que um dia abrigou Dawson, acobertou o namoro do casal e acabou se tornando o melhor amigo dos dois. Seguindo as instruções de cartas deixadas por Tuck, o casal redescobrirá sentimentos sufocados há décadas. Após tanto tempo afastados, Amanda e Dawson irão perceber que não tiveram a vida que esperavam e que nunca conseguiram esquecer o primeiro amor. Um único fim de semana juntos e talvez seus destinos mudem para sempre. Num romance envolvente, Nicholas Sparks mostra toda a sua habilidade de contador de histórias e reafirma que o amor é a força mais poderosa do Universo - e que, quando duas pessoas se amam, nem a distância nem o tempo podem separá-las.
Comecei a leitura imaginando que encontraria um romance bacana, gostoso de ler e totalmente clichê. Acredito que ao ler a sinopse muita gente teve a mesma impressão. Mas, no decorrer da história, eu fui surpreendida. O livro vai muito além de um amor adolescente que sobrevive após tantos anos.

Dawson Cole é um garoto marcado. Sua família é conhecida por seus atos criminosos e por seu passado sombrio. Dawson não é como o restante da família, mas isso não impede as pessoas de julgá-lo. Fora de casa ninguém gosta dele por ser um Cole, dentro de casa ninguém gosta dele por não se comportar como um Cole. 

Amanda Collier tem tudo para ser feliz. Boa família, ótimas condições financeiras e uma beleza estonteante. Seu sonho é ir para a faculdade e tornar-se professora. Seu único ponto negativo: amar Dawson Cole.

Durante o verão o casal se refugia na oficina de Tuck, a única pessoa que não recrimina o namoro. A oficina é palco de conversas, discussões, desabafos e carinhos. E é lá também que o doce namoro adolescente chega ao fim. 

Vinte e cinco anos depois, a vida de ambos está bem diferente. Dawson continua solitário, tem um bom emprego e, recentemente, algumas alucinações. Depois de sofrer um acidente no trabalho, vez ou outra ele vê um homem, mas nunca consegue alcançá-lo. Amanda tem um casamento conturbado, três filhos e um trabalho voluntário. Nenhum dos dois imagina o que o destino o Tuck preparou para eles.
“O que os mais jovens não entendiam era que a grama ficava mais verde quando regada, o que significava que tanto Frank quanto Amanda precisavam pegar seus regadores se quisessem concertar as coisas.”Página 87
A partir daí eles se reencontram, devido à morte de Tuck. Ambos voltam até a cidade natal, pois tem um encontro marcado com o advogado do falecido. O que eles não imaginam é que Tuck preparou um pequeno reencontro durante um final de semana, com direito a vinho, flores e um lugar mágico. O que nós, leitores, não imaginamos é que as próximas páginas serão eletrizantes. Encontraremos suspense, mistério, romance e, claro, uma boa dose de drama.

Quando terminei de ler, cheguei a uma conclusão: esse livro sequestra o leitor. Fiquei tão envolvida com a história, que não ousei largar o livro antes do final. Em algumas partes, é fácil deduz o que vai acontecer, mas isso não tira a beleza do livro. Pelo contrário, só aumenta a curiosidade.

O livro mostra o peso das decisões e o amor em todas as suas formas. O amor que pondera e prefere se sacrificar, o amor que destrói, o amor que une. É o segundo livro que leio do Nicholas e já quero ler mais. Recomendo bastante.
“Por mais que tentasse, não conseguia visualizar seu futuro. Amanhã, depois de amanhã e a interminável sequência de semanas e anos não pareciam ter sentido algum.”Página 211

6 comentários:

  1. Aaaah eu amo Nicholas Sparks, e acho esse livro tão lindo, mesmo sendo triste rs.
    Adorei!
    Parabéns pelo blog e pela resenha =)

    www.resenhasealgomais.com.br

    ResponderExcluir
  2. Já li esse livro, adorei tudo que li, mas confesso que o final me deixou um pouco chateada, fiquei até com ressaca literária, mas afinal, é Sparks.

    Beijocas.
    paixaoliteraria.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é um final perfeito, né? Mas eu entendo, afinal, na vida real é pouco provável que as pessoas tenham tudo que desejam.

      Beijos

      Excluir
  3. Que ótima resenha Gabriela!! Eu amoo incondicionalmente Sparks e as obras dele então sou bem suspeita pra falar, e esse livro pra mim também marcou muito, que bom que você gostou, é muito lindo mesmo! Parabéns pela resenha!
    beijoos

    http://www.leitorapaixonada19.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oiii, eu quero mtooo ler esse livro, amo esse autor :)
    Ta lindo o blog!
    Beijos

    http://perfeitavaidade.blogspot.com.br

    http://www.facebook.com/perfeitavaidadeS2

    ResponderExcluir