INÍCIO SOBRE PARCEIROS RESENHAS ENTREVISTAS CONTATO

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Wishlist: Objetos literários

Arrumei minha estante essa semana e coloquei todos os meus marcadores dentro de uma caneca da faculdade. Ficou tão bonitinho, que já quero outra para colocar mais brindes que tenho e não param na estante. Mas, como tudo que é relacionado algum livro se torna mais especial, eu quero comprar uma caneca literária. Pensando nisso, montei uma wishlist com canecas e camisetas literárias. Quem aí gosta de colecionar objetos, roupas e acessórios ligados aos livros? 
1. Bigodes Literários: Amei essa caneca. Ela reúne bigodes de autores famosos, como: Flaubert, Proust, Eça, Ezra Pound, Faulkner, Poe, Stevenson, Aluísio de Azevedo, Castro Alves, Hammett, Fernando Pessoa e Maupassant. Ideia genial, ein? 

2. I ♥ Books: Essa é a caneca clássica dos apaixonados por livros. Linda!

3. There's no such thing as too many books: Coloridinha e bonitinha, ótima para alegrar o dia.

4. Reading is my super power: A parte vermelha dá um charme a mais na caneca, né? :)

5. Livros finos são para os fracos: Estampa linda e frase engraçadinha. Básica para o dia a dia.

6. Camiseta Biblioteca: Gente! E essa estampa? Ameeei de mais. Sonho de consumo!

7. You can't buy happiness, but you can buy books...: Frase perfeita! Super usável também!

8. Menino maluquinho: Marcou minha infância. Li váaarias vezes e adorei a estampa. :)

Gostaram, pessoal? Se vocês quiserem, eu procuro mais objetos literários e posto aqui. 

P.S.: Eu coloquei os sites que peguei as imagens, mas nunca comprei em nenhum deles. Se alguém já comprou, comenta se é confiável. :)

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Bruxos e Bruxas


No meio da noite, os irmãos Allgood, Whit e Wisty, foram arrancados de sua casa, acusados de bruxaria e jogados em uma prisão. Milhares de outros jovens como eles também foram sequestrados, acusados e presos. Outros tantos estão desaparecidos. O destino destes jovens é desconhecido, mas assim é o mundo sob o regime da Nova Ordem, um governo opressor que acredita que todos os menores de dezoito anos são naturalmente suspeitos de conspiração. E o pior ainda está por vir, porque O Único Que É O Único não poupará esforços para acabar com a vida e a liberdade, com os livros e a música, com a arte e a magia, nem para extirpar tudo que tenha a ver com a vida de um adolescente normal. Caberá aos irmãos, Whit e Wisty, lutar contra esta terrível realidade que não está nada longe de nós.

Imagine um mundo onde tudo o que você aprendeu sobre o que é certo e errado, tudo que você acredita e toda a estabilidade presente no seu país não existe mais. É esse o mundo que os irmãos Whit e Wisty se deparam ao serem acordados no meio da madrugada. Sem nenhum aviso prévio, soldados invadem sua casa, os acusam de bruxaria e os levam presos. O mais estranho? Seus pais agem como se não estivessem surpresos.

Quem é o responsável por essa mudança drástica na vida dos irmãos? Ninguém menos do que o Único Que É o Único. Ele é o mandachuva da Nova Ordem, regime que foi eleito nas últimas eleições, e que é totalmente opressor. Não concorda com as regras? É criança ou adolescente? Fez alguma coisa suspeita, como mascar chiclete na rua? Vai preso, é julgado e corre grandes riscos de ser enforcado. 

A princípio parece inimaginável presenciar uma mudança política tão brusca, leis que proíbem coisas banais e que querem calar as mentes pensantes. Mas, parando para pensar, censura, democracia zero e perseguição política já deram as caras por aqui, né? 

Esse é um dos pontos mais interessantes do livro. Os autores conseguiram criar uma história unindo práticas de séculos atrás, um regime opressor e criaturas fantásticas em um cenário totalmente atual e crível. 
“Então, me lembrei das eleições, do novo governo, dos discursos revoltados dos meus pais sobre o perigo que o país corria, das transmissões especiais na TV, das petições políticas que meus colegas tinham feito circularem na internet, dos debates acalorados entre os professores na escola. Eu não tinha entendido nada daquilo até aquele exato momento.” Página 16
Após serem capturados, Whit e Wisty percebem que quando estão sobre pressão ou medo, conseguem mesmo fazer algumas coisas impressionantes. Afinal, não é normal pegar fogo e não se queimar, né? A ideia de que eles podem ser bruxos de verdade começa a se formar e eles percebem que talvez, seus pais tenham tentado lhes dizer isso através das histórias que contavam durante a infância. 

Agora, com essa nova descoberta, eles precisam correr contra o tempo para fugir da prisão, encontrar a namorada de Whit,que também foi sequestrada pela Nova Ordem, e encontrar seus pais. Para isso, eles terão uma grande e perigosa jornada, que incluí um passeio pela terra das sombras, um acampamento em uma loja de departamentos parcialmente destruída e muito mais.

Cada capítulo é narrado alternadamente por um dos irmãos e os capítulos são curtos. Com isso, é praticamente impossível parar de ler. Fiquei naquela de “só mais um capítulo” durante um sábado inteiro! Haha A maioria dos personagens é bem divertida e a leitura fica ainda mais prazerosa.

Apesar dos pontos positivos, fiquei com a sensação de que os autores não souberam explorar bem a história. Alguns assuntos foram abordados de forma bem superficial, e sinceramente eu não entendi bem o motivo. O livro é curto, não chega a 300 páginas. Acredito que daria sim para ter deixado a história ainda mais interessante e misteriosa.

Por fim: a capa. É liiinda, gente! O preto da capa é fosco, então as letras em dourado e o ‘B’ em chamas ficaram em destaque ainda maior.  Gostei muito, mesmo. 

Quanto à leitura, eu recomendo sim. Estou curiosa para ler a continuação e espero que os autores aproveitem melhor o que tem em mãos. Se o segundo livro for superficial também, vai ser uma pena. Alguém ai já leu?
“- Não chora, não. Lembre que eles estão fazendo tudo isso porque morrem de medo. Eles têm medo de você. Eles têm medo de todos nós.
-Como assim?
-Eles sabem que podemos mudar tudo. Eles sabem que temos o poder de lutar contra isso.” Página 231
*Este livro foi uma cortesia da Editora Novo Conceito.

terça-feira, 23 de julho de 2013

Decoração: Quadrinhos!


Desde que li um post sobre decoração com quadrinhos, coloquei na cabeça que iria decorar algum lugar dessa maneira. Porém, como os únicos lugares a minha disposição eram meu quarto e meu banheiro, a ideia ficou adormecida. Quando voltei a trabalhar em casa e a necessidade de um (mini) escritório surgiu, me empolguei de novo. Afinal, é uma ideia bem prática e fácil de se fazer e fica toda charmosa! 

Depois de decidir como eu queria meu quadrinho, saí em busca de uma moldura parecida com o que eu imaginei. Resultado: busca frustrada, claro! haha Não achei nem o modelo e nem a cor que eu queria. Maaas, não desisti. Comprei dois porta-retratos com uma textura bacana na borda e decidi pintar. O problema é que fiquei indecisa quanto a cor e a frase que vou colocar, então resolvi pesquisar mais algumas referências (de novo!!) e vim compartilhar meus achados com vocês.


Gostaram?

*Todas as imagens foram tiradas do pinterest e do weheartit.

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Divulgação: M.C. Jachnkee

Eu tenho um grande carinho pela M.C. Jachnkee, que foi a primeira autora parceira do blog. Seu primeiro livro "Amazônia - Um Caminho para o Sonho" é um sucesso e fico muito feliz em anunciar que ela já está escrevendo a continuação, que se passa nos Andes peruanos. Não vejo a hora de ler! :)

Ela retorna na sua terceira viagem ao país dos Incas. Na segunda vez que esteve em terras andinas, permaneceu por um ano, agora volta com outro olhar para sua pesquisa de campo. Já imaginaram como esse livro vai estrar recheado de cultura e beleza? 

A Marli mandou algumas fotos e um recadinho:


Quem estiver interessado em mais informação acesse suas redes sociais, ou envie um e-mail para: marlicarmen@hotmail.com
- Blog

quarta-feira, 17 de julho de 2013

O Véu


Araci Quintanilha, é a proprietária da Casa Quintanilha de Leilões, no Rio de Janeiro, que vive dias de expectativa com a aproximação do leilão onde uma misteriosa tela a óleo, chamada ‘O Véu’, será posta à venda. O quadro que foi condenado por várias lideranças muçulmanas em todo o mundo por retratar uma mulher seminua usando o véu islâmico, tem uma trajetória marcada pelo sucesso, pela polêmica, pela intriga e pela tragédia. Diversas pessoas morreram por sua causa - inclusive o próprio pintor, Lourenço Monte Mor, vitimado por um incêndio em sua casa, jamais esclarecido. Obscuros segredos do passado ligam o quadro ao assassinato, em 2005 na Arábia Saudita, de Abu al-Horiah, o líder da Azadi, uma organização extremista iraniana responsável por inúmeros atentados terroristas nas décadas de 1980 e 1990. Tudo levava a crer que a morte de Abu al-Horiah e de seu filho Arsalan, tido como seu sucessor, sepultara de vez a Azadi, mas, tempos mais tarde, começaram a circular rumores de que a organização estaria se rearticulando sob o comando de uma nova líder, conhecida como Umm al-Hakika. Os rumores sobre a ressurreição da Azadi coincidem com a chegada ao Brasil de Mohsen Khajepour, um conceituado intelectual iraniano radicado na Suíça, que acaba assassinado em circunstâncias misteriosas, às vésperas das eleições presidenciais iranianas de 2009. Durante anos acreditou-se que ‘O Véu’ tivesse sido destruído no incêndio que matou Lourenço Monte Mor, mas ele estivera, todo esse tempo, escondido no apartamento de Araci Quintanilha. Quando o seu leilão é anunciado e a opinião pública toma conhecimento de que a polêmica obra sobrevivera, Araci, subitamente, se vê arrastada para um redemoinho vertiginoso de acontecimentos perturbadores onde sua própria segurança é colocada em risco. Ameaçada por terroristas, ela é obrigada a fugir, sem perceber que uma conspiração de proporções gigantescas está em curso. E que o misterioso quadro, que guardara consigo durante anos, esconde um terrível e fantástico segredo, que poderá mudar tragicamente a geopolítica do mundo. Nesse thriller eletrizante e envolvente em que os bastidores do rico mercado de arte se mesclam às entranhas sórdidas da turbulenta política do Irã, os destinos de três mulheres se cruzam na busca pela verdade e pela liberdade.
Sabe aqueles livros em que você passa a história inteira com a sensação de que falta só uma pecinha para desvendar o quebra-cabeça e então, quando você chega às últimas páginas, você pensa “Ooooh, não acredito!”. Pois é, aconteceu isso com esse livro.

A história começa narrando a morte do perigoso líder de uma organização extremista iraniana, a Azadi. Ele e seu filho foram mortos em uma engenhosa operação que visava o fim da Azadi a partir da morte do líder e de seu sucessor. Um ano depois o jovem pintor brasileiro Lourenço Monte Mor pinta “O Véu”, um quadro que retrata uma mulher nua, usando apenas um véu e que promete causar polêmica mundo afora.

Pouco tempo depois de expor o quando ao mundo, Lourenço morre em um incêndio inexplicável que destrói boa parte de seu trabalho. Apesar das crenças de “O Véu” ter se perdido para sempre durante o incêndio, ele reaparece alguns anos depois para ser leiloado na casa de leilões da Araci Quintanilha, tia de Lourenço. 

Araci sempre culpou o quadro pela morte do sobrinho e ficou receosa quando descobriu que o quadro continuava intacto. Aceitou leiloá-lo em respeito à memória do sobrinho e também para se livrar de vez do quadro. Afinal, ela tinha medo de que algum radical extremista ainda quisesse se vingar da família. 

Um dia antes do grande leilão, a casa de leilões sofre um atentado que dá inicio a uma série de graves acontecimentos.  Araci precisa descobrir quem está por trás dessa grande conspiração, antes que seja tarde.
“As sobrancelhas de Araci se ergueram. Ela estava completamente imobilizada pelo choque daquela revelação. Então, fora tudo uma cilada?” Página 289
O livro conta com vários personagens, em diferentes planos da história. Todos eles são bem construídos, cada um com uma característica marcante. Acredito que eles enriqueceram a história. A narrativa em si também é muito bem escrita, o autor conseguiu fazer uma ponte bacana entre Brasil, Irã e Suíça e, apesar da quantidade de detalhes e informações, a história não ficou confusa. 

Os mistérios que surgem ao longo do livro são tão instigantes que por um momento me perguntei se haveriam páginas suficientes. Quando cheguei ao fim, fiquei um tempão pensando sobre o livro. O autor teve uma grande sacada. Por fim, outro ponto que vale ressaltar é a capa. Quando vi o livro na internet, fiquei fascinada pela capa e posso dizer que ao vivo é mais linda ainda. 
Acho que nem preciso dizer que recomendo a leitura, né? Vale muito! 
“- O que aconteceu?
- Era o começo de 2003. O mundo estava convulsionado por causa da ameaça americana de invadir o Iraque...” Página 464
* Este livro foi uma cortesia da Primavera Editorial.

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Sandwich Book


Quando entrei no facebook hoje, eu esbarrei nessa foto. Como já mostrei dois livros bem inusitados (aqui e aqui) resolvi mostrar esse também. Quer livro melhor para saciar a fome de leitura? haha

O "Sandwich Book" ou livro sanduíche foi criado pelo artista  Pawel Piotrowski, que é designer gráfico e fotógrafo freelancer. Cada camada de ingrediente está representada em algumas páginas, sendo que alguns ingredientes contam com texturas diferentes.


Para conhecer o trabalho completo do artista, visite o site dele.

domingo, 14 de julho de 2013

TAG: Alfabeto Literário

Boa tarde pessoal! :)
Recebi essa tag super interessante da Nita, do blog Falando Sobre Livros. Adorei, obrigadaaa! :)


As regras são:
-Você deve escolher, no máximo, 5 letras do alfabeto, podem ser aleatórias ou seguidas e mandar para cada blog que você escolher, uma sequência.

- O blog que receber a TAG deverá escolher 5 livros que comecem com as letras que foram indicadas. Artigos não contam. Ex: " O mundo acabou". O artigo "O" não conta como letra "O", ou seja, o que vale são as letras da palavra secundária, nesse caso, a letra "M".

- O número de blogs e letras depende de cada um. Na ausência de TODAS AS LETRAS, o leitor poderá fazer sua listinha de livros. Para participar da TAG, você deve ter sido tagueado ok?

Eu recebi as letras : N - M - O - S

Os livros que escolhi são:
Escolhi a partir dos livros que já li. Vocês já leram algum?

Blogs escolhidos:
Paixão Literária: B - G - P - R
Acompanhada pelos livros: A - C - L - O
Meu outro lado: D - F - J - N
Blog da Mylloka: H - M - U - S 
Marli Carmen Escritora: E - I - U - T  

Beijos,
Bom domingo!

terça-feira, 9 de julho de 2013

O Eterno Barnes


Doutor Barnes, um famoso neurocirurgião, começa a desenvolver na Universidade onde trabalha uma pesquisa científica tentando transformar os dados do cérebro em arquivos de dados, codificando-os de modo que possam ser copiados. Com o avanço da pesquisa, acaba conseguindo copiar para o computador todos os dados de memória que formam o ser humano, como suas experiências, suas emoções, suas recordações, enfim, sua vida. Deslumbrado com a descoberta, começa a perceber que estes arquivos possuem uma estrutura totalmente diferente e uma sinfonia divina, e começa a ficar obcecado pela ideia de que seja possível copiar cérebros de um paciente para outro. Ao contrário do que deveria ocorrer, Barnes, cada vez mais, esconde suas pesquisas, pois seu objetivo passa a ser implantar seu próprio cérebro em outro paciente, mais jovem e sadio, pois está acometido de uma séria doença. Busca, desta forma, alcançar a tão almejada eternidade. Para isto, não mede as consequências de seus atos, que passam a ser justificados pela ambição que lhe domina. Conseguirá Barnes o seu intento?

Quando o autor entrou em contato comigo para apresentar o livro fiquei super curiosa para ler e já imaginei como seria o final. Durante a leitura, acabei percebendo que estava totalmente enganada. O final é surpreendente e deixa abertura para um próximo livro.

Doutor Barnes é um brilhante neurocirurgião que começa a desenvolver uma pesquisa que possibilita traduzir os arquivos do cérebro humano em arquivos de dados, ou seja, se ele conseguir provar sua teoria todas as suas memórias, os seus sentimentos e os seus pensamentos poderão ser copiados para um pen drive. Assustador, né?

Barnes é vítima de uma grave doença, que está debilitando seu corpo a cada dia. A chance de ter seu cérebro implantado em um novo corpo, mais jovem e sadio, é quase um milagre. Ao perceber a magnitude de sua descoberta e todos os procedimentos necessários para conseguir testar sua pesquisa, Barnes decide manter seus estudos em segredo. Nenhum médico entenderia que para ter a chance de continuar vivo, ele precisou quebrar alguns códigos de ética e cometer alguns atos absurdos. Afinal, era a vida dele que estava em jogo. 

“Buscava a eternidade e cada vez mais encontrava os meios de conseguir encontrá-la. Era um alquimista e iria em busca de sua pedra filosofal. Ergueu a cabeça. Tinha muito para descobrir.” Página 29

Após um grande avanço na área digital, Barnes resolve dispensar James, o estudante de informática que contratou. O rapaz, que até então não tinha percebido nada de anormal, resolve pesquisar sobre os arquivos que decodificou para o médico. Ao perceber que estava diante do que poderia ser um grande avanço para a ciência, James confronta Barnes para expor sua descoberta. É a partir daí que o plano de Barnes começa a se tornar cada vez mais complicado e arriscado.

Com medo da conversa que teve com Barnes, James confia todas as informações que descobriu a sua namorada. Ela, por sua vez, vê nas informações confidenciais uma maneira de conseguir ser promovida. 
Enquanto isso, Barnes tenta convencer Lourdes, uma amiga médica, a ajudá-lo a implantar seu cérebro em um jovem paciente do hospital, procedimento impossível de ser executado por apenas uma pessoa. A corrida de Barnes contra o tempo interliga todas essas pessoas que, direta ou indiretamente, passam a fazer parte do desfecho do grande plano do Eterno Barnes. Será que terá sucesso?

A temática do livro é bem interessante. Sempre achei que colocar o cérebro de uma pessoa no corpo da outra era coisa de filme de ficção científica. Porém, o autor abordou o tema de maneira totalmente plausível, com termos científicos e explicações compreensíveis. Ao terminar de ler, a idéia já não parece tão distante. Recomendo para quem procura um livro que foge dos temas comuns e conta com suspense, ação e muitas surpresas.   

 “Aqui o criador se transformaria na criatura e a criatura seria seu próprio criador, fundindo-se na sempre presente dicotomia vida-morte. Mas não era por amor, como pregava João. A criatura seria apenas um invólucro para seu criador, algo a ser usado e descartado.” Página 62
*Este livro foi uma cortesia do autor.

Voltei!

Hey queridos!
Demorou um pouquinho mais que o previsto, mas voltei! Como disse no post passado (faz teeempo) eu estava com suspeita de dengue, que (graças a Deus) acabou não se confirmando. Sinceramente, não sei o que tive, pois os sintomas eram bem parecidos. Infelizmente isso coincidiu com a entrega do pré-projeto do meu TCC e com os trabalhos da faculdade e não consegui manter o blog atualizado. 
Finalmente estou conseguindo colocar minha vida em ordem e voltar para o blog. Estou preparando alguns projetos e promoções, que vou compartilhar com vocês em breve. 
Sinto muito por ter passado todo esse tempo ausente, estava com saudades de postar.
Como vocês sabem, as promoções que estavam ativas foram encerradas. As ganhadoras já foram notificadas e os livros enviados. Quem quiser conferir o resultado é só clicar aqui.
Agradeço a todos que me mandaram melhoras, de coração. Daqui a pouquinho vou postar resenha fresquinha, fiquem de olho! 
Beijos!