INÍCIO SOBRE PARCEIROS RESENHAS ENTREVISTAS CONTATO

terça-feira, 16 de setembro de 2014

A Culpa é das Estrelas



Hazel é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante - o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos -, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas. 


 Demorei para me render a esse livro. Quem acompanha o blog sabe que eu não sou a maior fã de livros tristes e dramáticos. Fico remoendo e sofrendo a história por dias, mesmo depois de ter terminado a leitura. Além disso, as milhares de recomendações que o livro tinha me deixavam um pouco com o pé atrás. Enfim, resisti bastante, mas o filme foi lançado e eu não queria assistir sem ter lido o livro então resolvi ler de uma vez. E me surpreendi muito, muito mesmo.

Provavelmente o mundo inteiro já sabe do que se trata a história, mas mesmo assim vou falar um pouquinho. Hazel é uma adolescente de 16 anos e tem câncer. Ela é uma paciente terminal, que conseguiu mais algum tempo de vida graças a um novo remédio. Então ela sabe que vai morrer em algum momento e que os remédios só estão adiando o inevitável. Apesar da situação, se engana quem pensa que Hazel é a pessoa mais deprimida do mundo. Ela tem um humor fino e apesar de sua condição física ser um tanto debilitada, sua mente é bastante afiada. 

Em uma tentativa de agradar sua mãe e provar que não, ela não está entrando em depressão, Hazel começa a frequentar um grupo de apoio para crianças com câncer. As reuniões são tão chatas, que tédio passa ser o sentimento dominante dentro de Hazel. Até o dia em que Augustus aparece. Gus é lindo, inteligente e não tem cara de quem está com câncer. Mesmo assim, ele está lá e não para de encarar Hazel. E ela, por sua vez, não consegue parar de espiar, para ver se ele ainda está olhando. Naquele momento, ela ainda não sabia que esse seria o início de um novo capítulo de sua vida.
“Balancei a cabeça, tentando não sorrir. Eu não queria ser uma granada. Mas, para falar a verdade, ele sabia o que estava fazendo, não sabia? Era uma questão de escolha para ele também.” Página 150
A história é narrada pela Hazel e nem preciso dizer o quanto isso deixa o livro mais realista, né? Parece que estamos lendo um diário. E é uma leitura muito rápida, quase como se o livro estivesse pedindo para ser devorado. Como eu disse, a Hazel tem um ótimo senso de humor e isso se estende a sua narração. Mas, apesar de não ficar se queixando de sua doença e falta de sorte, Hazel trata as possíveis amizades de forma um tanto distante. Ela não quer que as pessoas se envolvam muito com ela, para não sofrerem mais do que o necessário quando ela partir.

E isso leva diretamente aos seus pais. Sua mãe precisou parar de trabalhar para cuidar dela. Seu pai trabalha fora e parece estar sempre chorando. Hazel não consegue evitar a sensação de culpa, de estar estragando uma grande parte da vida dos pais à toa, afinal em breve ela não estará mais ali. 

Também vale ressaltar que John Green consegue pegar o leitor (que não leu nenhum spoiler) de surpresa. No início do livro, tudo indica um caminho e lá no meio, quando você se apega a todo mundo e esquece que essa história também é sobre a dor, ele vem e destrói seu coração. Simples assim.

A Culpa é das Estrelas é um livro que mescla drama com conto de fadas. É uma história que vai muito além de um amor adolescente, mas nem por isso deixa de lado essas características. John Green cria personagens incríveis, cativantes, inteligentes e muito reais. Impossível não se apaixonar.  
“Parecia que tinha sido, tipo, há uma eternidade, como se tivéssemos vivido uma breve, mas infinita, eternidade. Alguns infinitos são maiores que outros.” Página 210

9 comentários:

  1. Oi ^^ já li o livro e adorei, me decepcionei depois que ACEDEA virou modinha e todos decidiram falar "a culpa é das estrelas" em todas, eu disse TODAS as situações possíveis, quem assiste noticiário vê que tem até bandido falando que "a culpa é das estrelas"!!!!
    Mas não tiremos a grandeza do livro porcausa disso... Gosto muito da história e estou esperando pra ver o filme, cidade.pequena sem cinema as.vezes é complicado ;/

    adorei sua resenha, bjs ;*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Aliscia!
      Também tenho um pouco de preguiça desses livros que viram modinha. Mas, como você disse, o livro merece seus créditos.
      Sei bem como é esse drama de cidade pequena! haha Mas acho que na internet você já consegue assistir. Também vi que ia começar a passar no telecine :)

      Beijo!

      Excluir
  2. eu acabei lendo o livro com o bom do filme, li em tipo 3 dias... gostei mt, leitura facil e bem escrito, a historia tbm, emocionante

    www.tofucolorido.blogspot.com
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  3. Oi Gabi, tudo bem? Sem palavras para descrever o John Green, ele é muito bom e gosto muito de tudo o que ele escreve e estou muito chateada porque ele não publica nada novo...

    Beijinhos
    www.serleitora.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Érica, tudo sim e com vc?
      Li apenas dois livros dele, mas gostei bastante do que li. Vamos torcer para ele publicar mais em breve, né?

      Beijo!

      Excluir
  4. Oii!
    li o livro assim em poucas horas, me prendeu e me envolveu. mas nao digo que me encantou. achei a escrita de john maravilhosa, cheia de frases de efeito, mas achei que faltou aquele romancezinho inicial sabe?! eles se conhecem e BUM! estão apaixonadissimos!
    nao sou muito fão disso, quando tem aquele inicio acabo me envolvendo muito mais na leitura.
    mas as partes com a familia... são lindas! :)

    Um beeijo Lara.
    Blog Meus Mundos no Mundo | | Página Coração Furta-Cor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Lara!
      Realmente, as partes com a família são bem bonitas!!

      Beijo!!

      Excluir
  5. "No início do livro, tudo indica um caminho e lá no meio, quando você se apega a todo mundo e esquece que essa história também é sobre a dor, ele vem e destrói seu coração."

    Ah, ok, eu me rendo. Até minha mãe leu o livro e amou. Amei sua resenha, você conseguiu me explicar porque esse livro é bom e porque eu preciso lê-lo. Hahahah

    www.literasutra.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Até sua mãe? Que bacana!! Lê sim Mona. Tenho certeza que se você não se apaixonar pelo livro, vai no mínimo tirar proveito de uma leitura gostosa. Não esquece de me contar o que achou!! :)

      Beijo!

      Excluir