INÍCIO SOBRE PARCEIROS RESENHAS ENTREVISTAS CONTATO

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Um passo em falso


Ainda jovem, Myron Bolitar contou com a ajuda do treinador Horace Slaughter para começar a jogar basquete. O relacionamento dos dois era como o de pai e filho, mas com o tempo eles perderam contato e Myron abandonou o esporte.
Dez anos depois de ver Horace pela última vez, Myron conhece Brenda, filha do antigo amigo e uma bela estrela do basquete. Trabalhando como agente de atletas, ele poderá fechar um contrato valioso com a jogadora se descobrir o paradeiro de Horace, que sumiu repentinamente após agredi-la. Desde então, Brenda começou a receber ameaças por telefone e a ser seguida. Myron não acredita na culpa do amigo e resiste a ser guarda-costas da moça, mas acaba cedendo.
Determinada a não fazer papel de donzela indefesa, Brenda provoca uma atração irresistível em Myron, que vive um relacionamento amoroso debilitado. Porém, existe entre eles um abismo de corrupção e mentiras, além de segredos pelos quais muitos arriscariam a vida.
Mesmo contra o bom senso, Myron segue investigando o caso. Disposto a conquistar o coração de Brenda, ele está ciente de que um passo em falso pode acabar matando os dois. 
Fazia tempo que um livro do Coben não me pegava assim de jeito. Haha Fui pegando o ritmo do livro aos pouquinhos e, quando percebi, estava doida, devorando cada página para descobrir o que iria acontecer. Muita emoção, gente!

Em Um Passo em Falso, nosso querido Myron Bolitar é instigado a se tornar agente da (incrível e linda) jogadora de basquete Brenda Slaughter. O problema é que Brenda é filha do seu ex-treinador e, aparentemente, está correndo perigo. E Myron, com seu senso protetor apurado, assume, além do papel de agente, o papel de guarda costas&detetive, mesmo contra a vontade de Brenda.

Os acontecimentos estranhos têm início com o desaparecimento de Horace, pai de Brenda. Ele agrediu a filha e sumiu do mapa. Mas, antes de desaparecer, fez inúmeras ligações suspeitas e pegou todo o dinheiro que possuía. Alguns dias depois, Brenda começou a receber ameaças por telefone e um pedido: Que ligasse para sua mãe. Para a mãe? Sim, a mãe, que tinha fugido quando Brenda ainda era uma criança e nunca se importou em dar um telefonema para a filha. O que a sua mãe teria a ver com a história?

Myron começa a desenterrar fatos do passado para tentar descobrir o autor das ameaças. E, em sua caçada, ele esbarra em pessoas extremamente perigosas. Ao invés de tirar o alvo de cima de Brenda, Myron conseguiu ampliá-lo e torna-se um alvo também. Agora, ele precisa de toda sua perspicácia para conseguir sair com vida dessa situação. 
“– É tão parecido com o que minha mãe fez... Primeiro, desapareceram as roupas. Depois, o dinheiro.
– Sua mãe levou dinheiro?
– Cada centavo.” Página 48
Não dá para falar muito da história sem soltar spoilers e sem os spoilers não dá para mostrar o quanto a trama incrível #comofaz?. O Coben tem esse talento de pegar uma premissa comum e conseguir transformar em uma história eletrizante, só acrescentando detalhes. A partir do momento em que o Myron começa a investigar o pai de Brenda, as teorias começam a surgir na sua cabeça, mas por um ou outro detalhe, as teorias vão por água abaixo e você percebe que deixou passar alguma coisinha lá no começo. É enervante e, ao mesmo tempo, delicioso. 

E por falar em Myron, ele e o Win estão terríveis nesse livro. Myron e seu sarcasmo me fizeram rir alto, enquanto o Win terrorista, com armas escondidas em todo lugar e uma lealdade gigante me conquistou ainda mais. 

Outro detalhe importante é que esse foi o primeiro livro do Coben que conseguiu me deixar triste. Sabe quando uma coisa muito boa poderia acontecer e ai ela toma um rumo totalmente inesperado e você fica triste pelo personagem? Pois é. 

Enfim, Um passo em falso me pegou de surpresa mesmo. Coben me fez de tonta durante o livro inteiro, criou um clímax eletrizante e ainda deixou gostinho de quero mais. Não sei se é porque eu fiquei empolgada demais durante a leitura, mas eu adorei esse livro. Alguém ai já leu? Me conta o que achou! E, para quem não leu, eu super recomendo!
“Win refletiu por um instante.
 – Eu nunca machuco gente inocente de propósito. Mas tampouco faço ameaças ociosas.” Página 224
* Este livro foi uma cortesia da Editora Arqueiro.

P.S.: Já está participando da promoção de aniversário do blog? Você pode ganhar esse livro! Participe aqui

P.S.2: Postei uma foto desse livro no instagram e o Coben CURTIU! Muita felicidade, né? haha


sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Dica da Semana: Garota Exemplar



Amy Dunne (Rosamund Pike) desaparece no dia do seu aniversário de casamento, deixando o marido Nick (Ben Affleck) em apuros. Ele começa a agir descontroladamente, abusando das mentiras, e se torna o suspeito número um da polícia. Com o apoio da sua irmã gêmea, Margo (Carrie Coon), Nick tenta provar a sua inocência e, ao mesmo tempo, procura descobrir o que aconteceu com Amy.




Finalmente assisti a adaptação cinematográfica de Garota Exemplar. Confesso que estava com um pouco de receio, pois como eu disse na resenha (aqui!) o livro é genial. Por outro lado, também estava ansiosa para assistir, pois já tinha ouvido alguns comentários positivos. E sinceramente, eles têm fundamento. Que filme!


Para quem ainda não conhece a história, aqui vai um resuminho: Nick é um idiota sem tamanho, ainda mais desprezível no filme. Ele odeia tudo que sua mulher representa, mas depende financeiramente dela. Então, passa odiá-la ainda mais. Amy é a perfeita mulher devotada. Linda, simpática, excepcionalmente inteligente e completamente apaixonada por Nick. Apesar de todos os defeitos do marido, ela ainda acha que o casamento pode dar certo.

E então, no dia do aniversário de casamento deles, a casa é revirada e Amy desaparece misteriosamente, dando início a uma caçada. Nick coopera com a polícia e, apesar de ele parecer o principal suspeito, as coisas não se encaixam.


Fiquei espantada com o quanto o filme conseguiu ser fiel ao livro. A maioria das partes importantes está presentes e foram representadas de maneira fiel, sabe? Muito bacana ver isso em uma adaptação. Assim como no livro, as cenas alternam entre o ponto de vista do Nick e a Narrativa da Amy. O único ponto que eu achei que não foi tão bem explorado é a série de livros da Amy Exemplar. É um fato bem relevante no livro, a fortuna da Amy veio da série e, provavelmente, boa parte de sua personalidade também. Então sim, eu acho que deveria ter tido um pouquinho mais de destaque. Fora isso, o filme é ótimo. Rosamund Pike dá um show e interpreta uma Amy completa. Recomendo!


quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Sorteio de Aniversário: 3 anos, 3 kits!

E já se passaram 3 anos desde que decidi escrever aqui pela primeira vez. Durante esse tempo conheci muitos blogs, muitas blogueiras e muitos autores. Bloguei, li, entrevistei, sorri, escrevi, li, conheci e aprendi. Que nesse próximo ano o blog continue crescendo e que venham muitos mais livros, resenhas, ilustrações, filmes e fotos por aí. Agradeço a cada um de vocês que dedica um tempinho para passar por aqui e ler o que eu escrevo. Um beijo no coração! :D

E como aniversário merece presente, esse ano teremos 3 kits sendo sorteados, formando um total de 9 livros! É isso mesmo, são NOVE livros! :D



O primeiro kit foi formado com a ajuda de duas blogueiras incríveis, donas de dois blogs super fofos! A Amanda, do blog Guerra de Almofada, contribuiu com Anexos, da nossa querida Rainbow Rowell. E a Nanda, do blog Trocando o Disco, contribuiu com um box (!) ed. econômica da saga Encantadas! Além disso, eu resolvi sortear Casório, da Marian Keyes e O Jeito que me olha, da Bella Andre. É um super kit e você não pode nem pensar em ficar de fora dessa!

As regras são as de sempre: Ter um endereço de entrega aqui no Brasil e preencher o formulário.
Os livros serão enviados ao vencedor pelos blogs participantes.

a Rafflecopter giveaway


A Editora Intrínseca gentilmente cedeu para sorteio um exemplar de Cinquenta Tons de Cinza. O filme está prestes a ser lançado e se você ainda não leu, essa é sua chance!!
As regras são as de sempre: Ter um endereço de entrega aqui no Brasil e preencher o formulário.
O livro será enviado ao vencedor pela Editora Intrínseca.

a Rafflecopter giveaway


O terceiro kit é em parceria com a Editora Novo Conceito e é especial para quem não suporta esperar pela continuação quando um livro acaba. Com vocês: Simplesmente Ana e De repente, Ana!!
As regras são as de sempre: Ter um endereço de entrega aqui no Brasil e preencher o formulário.
Os livros serão enviados ao vencedor pela blog Pitada de Cultura.

a Rafflecopter giveaway




Kit Bônus!
Uhuuul, temos mais um livro para ser sorteado! A Editora Arqueiro disponibilizou o livro Um Passo em Falso, lançamento do nosso querido Harlan Coben!! *-*  Eu estou terminado a leitura e já adianto que o livro é bom. O Myron Bolitar tá melhor do que nunca! :D
As regras são as de sempre: Ter um endereço de entrega aqui no Brasil e preencher o formulário.
O livro será enviado ao vencedor pela Editora Intrínseca.

a Rafflecopter giveaway

Observações:
• A promoção é válida até o dia 21/02/2015.
• O ganhador terá até 3 dias para enviar seus dados para entrega do prêmio. Após esse prazo, o sorteio será refeito.
• Quando receber o prêmio, o ganhador deverá enviar uma foto.

Quero ver todo mundo participando, ein? Boa sorte!! :D

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

On the road: Ubatuba!

Heey pessoal! Semana passada fui passar umas férias com a família em Ubatuba, litoral de São Paulo. Esse é o terceiro ano que visitamos a cidade nessa época e dessa vez aproveitamos para relaxar mais. Ficamos em um condomínio super bacana, com uma piscina incríiiiivel e vou confessar que o ambiente lá estava tão gostoso, que nem dava vontade de ficar muito na praia.
"Só com a praia bem deserta é que o sol pode nascer..."
Vista do apartamento
Namorado lindão
Caraguatatuba, já na viagem de volta
Filmei algumas coisas na viagem e fiz um vídeo bem curtinho, mas já aviso que passa longe de ser um vlog, tá? hehe


Vocês foram para algum lugar nessas férias? Me contem nos comentários!!

Se você gostou das fotos, confira esse post aqui, onde contei minha experiência conhecendo a cidade Paraty - RJ. :)

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Endgame: O Chamado


Terra. Agora. Hoje. Amanhã. O Endgame é real e vai começar. O futuro ainda não está escrito. O que tiver que ser será. Doze jogadores. Jovens, mas pertencentes a linhagens ancestrais. Das quais descende toda a humanidade. Linhagens escolhidas milênios atrás. E que vêm se preparando desde então. Eles não têm poderes sobrenaturais. Não podem voar, não transformam chumbo em ouro nem curam a si mesmos. Quando a morte chega, eles morrem. Eles e todos nós. São os herdeiros da Terra, e cabe a eles resolver o Grande Mistério da Salvação. Um deles precisará conseguir fazer isso, ou todos estaremos perdidos. Leia o livro. Encontre as pistas. Decifre o enigma. Só um pode ganhar. O Endgame é real e vai começar.
Imagine que o mundo como nós conhecemos está prestes a acabar. Doze desastres naturais anunciam a chegada do Endgame, mas só os escolhidos sabem o que isso realmente significa. Eles são descendentes das linhagens que deram origem a toda a raça humana e cabe a eles salvar uma parcela da população mundial. Todos os outros têm que morrer. Só um pode ser vencedor. De resto, não há regras. 

Os jogadores treinaram para o Endgame desde a infância. Eles são altamente qualificados para qualquer tarefa, sabem identificar o perigo bem antes que qualquer outro, tem uma memória incrível, reflexos assustadores e podem matar com um simples gesto. Alguns levavam uma vida normal e guardavam o Endgame como um segredo, torcendo para o tempo passar e eles se tornarem inelegíveis (quando atinge 20 anos o jovem não é mais elegível, ou seja, não pode mais jogar). Outros não. Outros torciam para o Endgame chegar. Tinham sede de sangue. Queriam matar. E, para seu contentamento, o Endgame chegou. O Endgame é real e vai começar.
“Que o Endgame começará se a raça humana tiver mostrado que não merece ser humana. Que desperdiçou o esclarecimento que Eles nos deram. A lenda também diz que, se não dermos valor à Terra , se nos tornarmos populosos demais e dilapidarmos este planeta abençoado, o Endgame começará. Começará para acabar com o que somos e estabelecer a ordem no planeta.” Página 61
Que premissa, ein? Um jogo planejado pelos seres superiores, para entrar em vigor quando os humanos “metessem os pés pelas mãos” e acabassem com tudo que há de melhor na terra. O futuro da nação na mão de 12 adolescentes treinados para matar, com valores e culturas extremamente diferentes, cujo único objetivo é sair vivo para salvar a sua linhagem. Sinceramente, não parece tão absurdo assim. Afinal, a terra já chegou em um ponto beeem crítico e a culpa é toda nossa. Quem sabe o Endgame não está acontecendo nesse exato momento?

Teorias da conspiração a parte, vamos ao livro. A narração é feita em terceira pessoa, por um narrador onisciente. Existem inúmeros detalhes que vão sendo apresentados ao desenrolar da história e alguns trechos contêm explicações importantes, mas que deixam a leitura um pouquinho mais lenta. Porém, como O Chamado é o primeiro livro da trilogia, é natural que sejamos expostos a tantas explicações e personagens e com isso o ritmo da leitura seja diferente entre alguns capítulos e outros. 

Falando em personagens, aí vai uma dica: Não se apegue! A maioria dos jogadores quer sangue, então obviamente, eles tentam matar uns aos outros. Não é uma matança sem sentido desde o início não, mas o livro termina com algumas perdas tristes. Outro ponto relevante sobre os personagens é que alguns tiveram mais destaque do que outros. Isso me incomodou um pouquinho no começo, mas, no final da leitura percebi que esses personagens serão mais explorados nos próximos livros.

E eu não podia deixar de comentar a questão que não quer calar: É muito parecido com Jogos Vorazes? Bom, são doze jogadores, cada um representando uma linhagem, entram em um jogo e matam uns aos outros. Então sim, lembra um pouco.  Mas existem diferenças gritantes, os propósitos são diferentes. Em Jogos Vorazes o jogo acontecia para fazer a população temer o estado. Os adolescentes morriam em vão, para entreter a capital e todo mundo sabia da existência do jogo. Já em Endgame o propósito é muito maior: salvar uma parte da humanidade. Quem vencer dá o direito de viver para a sua linhagem. Existem três etapas e para vencer você precisa cumpri-las. A morte dos outros jogadores é uma conseqüência, não um propósito. Os jogadores não estão isolados, o jogo acontece em todo lugar, nos monumentos famosos do mundo. Eles viajam de avião, podem ter o auxílio de qualquer um e podem usar tudo que o dinheiro conseguir comprar. E, claro, ninguém sabe que o Endgame está acontecendo.  

Por fim, não posso deixar de comentar o quanto a edição é MARAVILHOSA. A capa é linda, dourada e toda cheia de detalhes e, no final dos capítulos mais importantes, existem ilustrações de mapas e códigos, que enriquecem ainda mais a diagramação. Sem contar que o final é eletrizante e te deixa pasmo. PRECISO da continuação.
“Sangue pinga no chão.
Apertam as mãos.
– Ao Endgame, irmão – dizem.” Página 308
* Este livro foi uma cortesia da Editora Intrínseca. 

domingo, 11 de janeiro de 2015

Chegou por aqui: Final de ano

Heey pessoal! Quem me acompanha no insta (segue! @gabrielaamoroso) sabe que eu tirei mini-férias na última semana e fui viajar. Em breve vai ter post contando um pouquinho mais sobre a viagem e mostrando as melhores fotos. Enquanto isso, vim mostrar alguns mimos que as editoras parceiras aqui do blog enviaram nesse final de ano. 

A editora Intrínseca caprichou e enviou até uma almofadinha super fofa. Também vieram um caderninho especial do livro Listografia e um calendário do Extraordinário. Para completar, vieram três marcadores incríveis. Obrigada Intrínseca, amei tudo!


O Grupo Editorial Pensamento também foi super fofo e, além de um cartão, enviou marcadores, bottons, um bloquinho de anotações (super útil!!) e uma bolsa de tecido. Adorei tudo, obrigada pessoal!


A Editora Arqueiro e o grupo Sextante enviaram um calendário lindo, um marcador super prático de imã (não conhecia, mas amei!), um marcador do Manul do Mundo (Meu irmão amooou!) e uma cartinha! Obrigada pelo carinho, gente. Gostei muito!


E por fim, alguns itens de decoração que vão fazer parte das fotos do blog esse ano! 
Escultura - Ganhei de amigo da onça essa escultura incrível, feita com molas e pregos. Ela é muito linda, vocês não tem noção!
Cofrinho porco - Faz muuito tempo que eu queria um porquinho dourado e encontrei esse no posto, enquanto estava viajando. Paguei R$25,00, achei um preço justo. 
Apontadores - Já a cabine telefônica e o carrinho de pipoca eu comprei em uma feirinha, lá em Ubatuba. Na verdade eles são apontadores e não são muito grandes, mas como eu quero colocar na minha estante, achei um tamanho bom. Paguei R$25,00 nos dois juntos.

E vocês? Ganharam muita coisa nesse final de ano? Me contem nos comentários! :)

domingo, 4 de janeiro de 2015

Toysquotes

Heey pessoal, tudo bem?
Quem acompanha o blog sabe que eu adoooro fuçar páginas novas no facebook. Outro dia conheci a página Toysquotes e fiquei encantada com tanta fofura. São váaarios quotes de personagens famosos, acompanhados de uma ilustração no estilo toy art. É muito amor, gente! ♥


Os quotes do Friends são os meus preferidos! Esse cabelo do Ross tá incrível, haha. O Silvio Santos também, tá uma gracinha. Vocês já conheciam a página?

P.S.: Tá rolando super promoção aqui no blog. Tem vários prêmios e muitas chances! Ainda não tá participando? Então clica aqui!! 

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Delírio


Muito tempo atrás, não se sabia que o amor é a pior de todas as doenças. Uma vez instalado na corrente sanguínea, não há como contê-lo. Agora a realidade é outra. A ciência já é capaz de erradicá-lo, e o governo obriga que todos os cidadãos sejam curados ao completar dezoito anos.
Lena Haloway está entre os jovens que esperam ansiosamente esse dia. Viver sem a doença é viver sem dor: sem arrebatamento, sem euforia, com tranquilidade e segurança. Depois de curada, ela será encaminhada pelo governo para uma faculdade e um marido lhe será designado. Ela nunca mais precisará se preocupar com o passado que assombra sua família. Lena tem plena confiança de que as imposições das autoridades, como a intervenção cirúrgica, o toque de recolher e as patrulhas-surpresa pela cidade, existem para proteger as pessoas.
Faltando apenas algumas semanas para o tratamento, porém, o impensado acontece: Lena se apaixona. Os sintomas são bastante conhecidos, não há como se enganar — mas, depois de experimentá-los, ela ainda escolheria a cura?
Você já se apaixonou alguma vez na vida? Então sabe como o amor pode deixar qualquer um “fora do eixo”. Pessoas já fizeram loucuras por amor, já mataram e morreram, choraram, mudaram completamente a sua vida e, mesmo assim, afirmam que o amor é a melhor coisa que existe no mundo. No livro Delírio, esses sentimentos intensos que o amor produz foram considerados sintomas e o amor foi classificado como uma doença extremamente perigosa, que pode levar a morte.

Nessa distopia, todo jovem deve, ao completar 18 anos, passar pela cura: uma pequena cirurgia que desativa grande parte das emoções. A cura proporciona uma vida sem dor, sem tristeza e sem ressentimentos, transforma adolescentes ansiosos em adultos exemplares. O governo garante que tudo fica melhor depois da cura. E Lena acredita. Faltam poucos meses para a garota passar pela cura e isso é o que ela mais deseja na vida. Sua família é marcada por desgraças causadas pelo amor e o que Lena mais quer é estar segura, poder ser uma pessoa normal, como qualquer outra.

Mas Lena não podia estar mais enganada quanto à cura. Quando sua melhor amiga (Hana) começa a agir de forma estranha, insinuando que as coisas podem ser um pouco diferentes do que elas acreditam, Lena acaba entrando em um mar de incertezas. E quando ela conhece Alex, tudo piora de vez. Ela percebe que está apaixonada e que isso não é uma coisa ruim. Mas esse não é justamente um dos sintomas? Agora Lena corre contra o tempo para aproveitar ao máximo os dias que restam até a cura.
“É incrível, Lena. Tanta gente, provavelmente em todo o país, esgueirando-se pelas frestas do sistema. Você deveria ver algumas das coisas que as pessoas escrevem. Sobre...sobre a cura.” Página 87
Gente, o que falar desse livro? Tem muito tempo que ele estava na minha lista de desejados e fiquei muito feliz quando acabei ganhando de amigo secreto (tem vídeo aqui!). Comecei a ler assim que chegou e não me decepcionei.

A narração é feita pela Lena e no início de cada capítulo há uma citação, um sintoma ou uma regra relacionada ao amor. A história conta com alguns desdobramentos interessantes e um tanto inesperados, que deixam a história ainda mais interessante, mas não posso citar sem contar spoilers. D:

Eu gosto muito dessa ideia da desconstrução do amor, de vê-lo como uma doença e da quantidade de “sintomas” que realmente se encaixam. A premissa da história se assemelha com O Doador de Memórias, onde a sociedade convive pacificamente e não tem consciência de que existe dor e amor. Porém, em Delírio é interessante ver o quanto a sociedade do livro se parece com a nossa. A internet e celular estão presentes, assim como a consciência da dor e do amor e a eterna busca por uma vida mais fácil. Hoje em dia existem os temidos “maus do século”, a busca irracional por corpos maravilhosos, os carros desejo, a vida perfeita. É isso que me encanta em distopias como essa: o quão absurdo a ideia parece a um primeiro momento e o quão perto de comportamentos parecidos nós estamos. 

Assim como a Lowry, Lauren mostra as duras desvantagens de uma sociedade que tenta a todo custo evitar a dor. Recomendo muuuito à leitura e estou super ansiosa para ler Pandemônio, o próximo livro da trilogia. 
“Seres humanos, em seu estado natural, são imprevisíveis, instáveis e infelizes. Somente quando seus instintos animais são controlados eles podem ser responsáveis, confiáveis e satisfeitos.” Página 173