INÍCIO SOBRE PARCEIROS RESENHAS ENTREVISTAS CONTATO

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

As estranhas e belas mágoas de Ava Lavender


Gerações da família Roux aprenderam essa lição da maneira mais difícil. Os amores tolos parecem, de fato, ser transmitidos por herança aos membros da família, o que determina um destino ameaçador para os descendentes mais jovens: os gêmeos Ava e Henry Lavender. Henry passou boa parte de sua mocidade sem falar, enquanto Ava que em todos os outros aspectos parece ser uma jovem normal nasceu com asas de pássaro. 
Tentando compreender sua constituição tão peculiar e, ao mesmo tempo, desejando ardentemente se adaptar aos seus pares, a jovem Ava, aos 16 anos, decide revolver o passado de sua família e se aventura em um mundo muito maior, despreparada para o que ela iria descobrir e ingênua diante dos motivos distorcidos das demais pessoas. Pessoas como Nathaniel Sorrows, que confunde Ava com um anjo e cuja obsessão por ela cresce mais e mais até a noite da celebração do solstício de verão. Nessa noite, os céus se abrem, a chuva e as penas enchem o ar, enquanto a jornada de Ava e a saga de sua família caminham para um desenlace sombrio e emocionante.
Se eu precisasse definir As Estranhas e Belas Mágoas de Ava Lavender em uma só palavra seria, sem dúvidas, peculiar. Terminei de ler o livro e fiquei com uma pequena ressaca literária, a história conseguiu mexer comigo. E confesso que estou aqui penando para escrever essa resenha. Esse livro é tão complexo, tão cheio de detalhes, que sinto que qualquer informação sobre a história pode prejudicar a leitura de quem ainda não leu. Maaas, vamos lá.

Ava Lavender nos conta a história de sua vida. E não é uma história comum, afinal, ela nasceu com asas. Mas, tudo começou bem antes, com a família da sua avó. Emilienne (a avó) veio de uma família francesa e sua trajetória de vida foi marcada por acontecimentos pouco convencionais

Quando Viviane (a mãe de Ava) nasceu, a vida de Emilienne deu uma reviravolta improvável e ela se tornou uma confeiteira de sucesso.  Seus doces eram consumidos por absolutamente todas as pessoas da pequena cidade e Emilienne não deixou de trabalhar nem por um dia. Viviane passou sua infância na padaria, envolta por cheiros e sabores. Cresceu, ganhou um coração partido e uma gravidez inesperada. E dela nasceu Ava, a garota com asas de anjos
“ – Você é um pássaro, um anjo ou o quê?
Dei de ombros. Não sabia bem responder a uma pergunta dessas, não porque não tivesse pensado a respeito, mas porque ainda não tinha a resposta. Eu certamente não era um pássaro, até onde sabia. Mas, ao mesmo tempo, não poderia dizer que era humana. O que significava ser humana, aliás? Eu sabia que era diferente, mas isso não me fazia tão humana quanto qualquer um...” Página 133   
Passei o início do livro todo escutando uma musiquinha francesa dentro da minha cabeça. A descrição dos lugares e das pessoas é tão característica, que é difícil não se encantar. Aliás, todas as descrições do livro são extremamente detalhadas e intensas. Walton consegue nos transportar para onde ela quer, durante todo o livro. 

Da França o livro segue para Manhattan, que está em pleno desenvolvimento. Imaginem as descrições! A autora tece comentários espirituosos, que enriquecem a história. Outro ponto forte do livro são os personagens. Todos eles são extremamente bem construídos e, além das características físicas e psicológicas, todos trazem uma interessante bagagem de vida.

O único ponto que preciso alertar é quanto ao ritmo de leitura. Sei que cada um tem o seu, mas acabei demorando mais que o esperado para ler esse livro. Como eu já disse, as descrições são detalhadas e longas e, em alguns casos chegam a ser complexas. Sendo assim, a leitura pode se tornar um pouquinho cansativa em algumas partes. Fora isso, o livro é incrível. Walton tem uma escrita sensível, doce e ao mesmo tempo cruel. Se você gosta de livros peculiares, esse é uma boa pedida.
"– Em Manhatine, sempre que você precisa tomar um banho ou lavar o rosto, basta virar a torneira e pronto! – dizia ele para os vizinhos enquanto bombeava água do poço do lado de fora de sua casa. – E não é apenas água, mes camarades, mas água quente. Dá pra imaginar? É como ser agraciado por um pequeno milagre todas as manhãs bem ali, em sua própria banheira!”  Página 13
*Este livro foi uma cortesia da Editora Novo Conceito. 

14 comentários:

  1. Que curiosa essa história Gabriela! E ainda achei a capa linda, então... vou procurar!

    ResponderExcluir
  2. Gabriela,
    Que livro intenso rsrsr Fiquei curiosa, adorei sua resenha!!
    Sobre o livro de Lena, Não sou uma dessas - vale a pena ler sim... engraçado e de leitura fácil. Gostei.

    Bjos, Sheyla
    http://blogdmulheres.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Sheyla! Só estou vendo comentários positivos sobre esse livro, quero muito ler! :D

      Beijo!

      Excluir
  3. adorei essa capa com a pena, curti mt conhecer o titulo

    www.tofucolorido.blogspot.com
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  4. Nossa, que história mas eu não curto muito livros com muitos detalhes, me dá sono hahah mas essa capa é linda mesmo

    http://criativosounao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Eu havia visto este livro, mas a capa me gerou uma enorme controvérsia.
    Porém, através de sua resenha, vi que é bem diferente do que eu imaginava, então pode ser que eu venha a lê-lo futuramente.
    Obrigada por compartilhar.
    Beijos
    www.estilogisele.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Gabi!
    Quero muito ler esse livro e, pelo o que vi na tua resenha, acho que vou gostar bastante da leitura. Gosto de livros peculiares e sem falar que pelo o que você relatou a autora tem uma escrita poética, algo que me encanta.

    Beijos!
    Books and Movies
    www.booksandmovies.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Jéssica! Ela tem mesmo! Acho que você vai gostar! :D

      Excluir
  7. Oi Gabriela! Sempre fiquei curiosa quanto a esse livro quando vou nas livrarias, mas confesso que é o puro charme dessa capa. Muito linda. =)

    A sua é a primeira resenha que leio sobre ele e me parece que é uma leitura muito boa, mas agora estou em um momento diferente. Preciso de algo leve e acho que esse detalhamento todo não me faria bem no momento. Mas gostei da dica, para um futuro.

    Beijos,
    alanahomrich.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Estou doida para ler este livro, mesmo ele tendo descrições longas, ele parece ser incrível e eu até gosto de descrições longas as vezes haha. Ótima resenha, espero pegar este livro logo.

    Beijos!
    http://palavrasdeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. A história parece mesmo bem peculiar. Já tinha lido uma resenha sobre esse livro e acredito que não foi tão positiva assim quanto a sua. Ainda assim, esse livro me desperta um interesse, quem sabe eu leia ainda esse mês.

    Beijos
    http://mon-autre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é um livro fácil, as descrições podem se tornar um tanto cansativas, mas a história acaba nos conquistando, sabe?

      Excluir
  10. Oi, Gabi!
    Já comentei sobre o seu dom de me fazer adicionar um livro à lista de "quero ler" toda vez que visito seu blog, não? Se não, agora está comentado, hehe. Não sei, acho que o que me conquistou de vez foi a descrição do livro como "peculiar" - acho que tenho lido tanto do mesmo que ando ansiando algo um pouco diferente. Parece ser uma história envolvente (mesmo com o ritmo um pouco mais lento) e diferente, o que já me deixa interessada. Espero conseguir ler ainda este ano :D
    Beijos e ótima semana ♥

    http://confissoesdeumleitor.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiiii Liah!
      Aiii que feliz! Muito bom quando a resenha desperta a vontade de ler, né? :D
      Siiim, é uma história bem diferente mesmo. Não se encaixa nesse mais do mesmo que estamos vendo constantemente por ai. Espero que vc leia e goste! :D

      Beeijo!

      Excluir