INÍCIO SOBRE PARCEIROS RESENHAS ENTREVISTAS CONTATO

domingo, 29 de março de 2015

New York: 3 séries que você precisa assistir!


Hey pessoal! Eu adoooro New York, morro de vontade de conhecer e sempre me pego observando cada detalhe da cidade quando estou assistindo filmes e séries. Pensando nisso, resolvi reunir três séries que têm propostas bem diferentes e New York em comum. Bora conferir?

Friends

Um clássico dos seriados americanos! A série mostra o dia a dia de seis amigos que moram em NY. Falando assim parece simples, mas tem uma magia envolvida que deixa a série incrível. Não tem como não amar. Não tem como escolher um friend preferido. Não tem como não chorar no último episódio. Não tem como não desejar ser o sétimo friend. Tem muito amor envolvido, gente! Eu já revi todas as temporadas - São (10!!), mas poderiam ser 100 - algumas vezes e sempre encontro um pretexto para assistir novamente. O último foi apresentar a série ao namorado e deu super certo. O problema é que já estamos na nona temporada e a saudade começou a aparecer. Já pode assistir de novo?

White Collar

Já falei dessa série aqui no blog, logo quando comecei a assistir. Estou terminando a última temporada e adooro as cenas que mostram NY, principalmente as noturnas. A série conta a história de Neal, um ladrão/falsificador que conseguiu liberdade provisória para se tornar consultor do FBI. Cada episódio é baseado em um crime de colarinho branco e, em paralelo, nos mostra um pouquinho da vida de Neal e de Peter, o agente responsável por ele. A série conta com inúmeras referências à obras de arte, livros e pensadores famosos, além de trazer um humor fino e personagens interessantes. Vale a pena assistir. Ahh, e são seis temporadas.

Gossip Girl

Mordi a língua com essa série. Sempre achei que não iria gostar, até assistir o primeiro episódio e me encantar. A série se passa em NY, com foco no Brooklin e no Uper East Side. Gossip Girl nada mais é do que um blog de fofocas, que acompanha cada passo dos adolescentes e da sociedade que frequenta o Uper East Side. Os próprios estudantes enviam dicas do que postar e o blog tem o poder de arruinar qualquer reputação. Nessa série você encontra de tudo: Poder, glamour, mentiras, roupas maravilhosas, limousines, pessoas amáveis e detestáveis. E acredite, você vai ansiar por cada episódio.  GG também tem 6 temporadas, que vão passar super, super rápido. 

Como todas as séries já terminaram, dá pra aproveitar o final de semana e assistir váaaarias temporadas seguidas, sem ficar na ansiedade esperando o lançamento do próximo episódio. Vale lembrar que as três séries estão no netflix! Friends tem da 6ª até a 10ª temporada, White Collar tem até a 4ª temporada e Gossip Girl tem todas!! 

quinta-feira, 26 de março de 2015

Entrevista: Patrícia Baikal

Não sei vocês, mas eu adoro conhecer um pouquinho de como foi o processo de escrita do livro e o um pouquinho sobre cada autor. Poder entrevistar autores e matar minha curiosidade é uma das coisas mais legais que esse blog está me proporcionando, de verdade. Deixo aqui o meu muito obrigada a todos os autores que já toparam responder minhas perguntas! ♥

E hoje, teremos na coluna a querida Patrícia Baikal, autora do livro Mariposa - Asas que mudaram a direção do vento. Patrícia nos conta qual foi a sua inspiração para escrever o livro e ainda fala um pouquinho sobre o que encontraremos no próximo volume! Espero que vocês gostem!

Quando você percebeu que gostaria de ser escritora?
Há quatro anos aproximadamente comecei a escrever contos curtos e a guardá-los no fundo (bem no fundo) das gavetas. Em 2013,  resolvi escrever uma novela, a qual acabou por se tornar um romance - Mariposa. Agora, não consigo mais parar de escrever! A escrita se tornou uma atividade diária.

Quais são suas inspirações literárias? Você pode citar um livro que te marcou?
O momento em que vivemos é a minha maior inspiração: as notícias da televisão, dos jornais, o cotidiano que me cerca, as histórias que ouço. Gosto de retratar o presente (e de imaginar o futuro a partir das nossas ações de hoje). As conversas do dia-a-dia também são inspiradoras para mim.
Livros que me marcaram: A hora da estrela (Clarice Lispector), 1984 (George Orwell), Quarto de Despejo (Carolina de Jesus), As meninas (Lygia Fagundes Telles), Alice no país das Maravilhas ( Lewis Carroll).

Como foram feitas as pesquisas para escrever o livro Mariposa? Você visitou todos os lugares que são descritos no livro?
"Mariposa" se passa em Brasília, cidade onde moro há nove anos e, por isso, a ambientação da trama ficou mais fácil. Além disso, fiz algumas pesquisas históricas sobre organizações secretas no Brasil para inspirar a criação da Ordem. Estudei um pouco sobre a Maçonaria e sobre a Bucha (uma organização política existente na década de 50). Pesquisei também sobre as várias espécies de mariposas que são referenciadas. Descobri que esses pequenos animais voadores têm muitas características singulares: são rápidos, gostam da noite, voam à procura da luz e estão em todos os lugares do mundo. Isso é suficiente para uma boa história, não é?

Sei que você está planejando escrever uma continuação de Mariposa (Fiquei curiosíssima com aquele final!). O que encontraremos no segundo volume?
Os leitores encontrarão a origem da Ordem, esta organização secreta sobre a qual falo no livro. Além disso, Nicolas e Mariposa terão novos inimigos, mais fortes e inescrupolosos que Brassel (sim, isso é possível!). Glória de Almeida também estará no segundo volume, e pode balançar o coração do Nicolas definitivamente.

Mariposa trata de um assunto extremamente atual. Como surgiu a ideia de escrever um livro sobre política? O descaso e a corrupção que estamos vivendo te influenciaram de alguma maneira?
Escrever "Mariposa" foi a minha forma de contestar contra a corrupção e o descaso com a sociedade. Mas não queria fazer um livro pesado, burocrático, mas sim lúdico e romanceado. Eu queria criar uma heroína brasileira que lutasse contra esse sistema injusto, mas que também vivesse um grande amor.

Quanto tempo você demorou para escrever Mariposa?
Dois anos.

Você encontrou dificuldades para publicar seu livro?
Sim. O mercado editorial não é fácil. As editoras recebem diariamente vários originais de escritores que querem ser publicados - a concorrência é muito grande.

Qual a sua dica para os futuros escritores?
Eu recomendo explorar ao máximo a internet: apresente seus trabalhos, construa seu público, use as redes sociais. Escute as críticas, acredite no seu talento, exercite a escrita todos os dias. E leia, leia muito.

Deixe um recado para os leitores.
Obrigada a todos, principalmente ao blog Pitada de Cultura, pela divulgação, apoio e carinho. Espero que "Mariposa" crie, em vocês leitores, sonhos, fantasias e um novo jeito de ver o mundo. Um beijo grande!

terça-feira, 24 de março de 2015

Objetos Cortantes


Uma narrativa tensa e cheia de reviravoltas. Um livro viciante, assombroso e inesquecível. Recém-saída de um hospital psiquiátrico, onde foi internada para tratar a tendência à automutilação que deixou seu corpo todo marcado, a repórter de um jornal sem prestígio em Chicago, Camille Preaker, tem um novo desafio pela frente. Frank Curry, o editor-chefe da publicação, pede que ela retorne à cidade onde nasceu para cobrir o caso de uma menina assassinada e outra misteriosamente desaparecida.
Desde que deixou a pequena Wind Gap, no Missouri, oito anos antes, Camille quase não falou com a mãe neurótica, o padrasto e a meia-irmã, praticamente uma desconhecida. Mas, sem recursos para se hospedar na cidade, é obrigada a ficar na casa da família e lidar com todas as reminiscências de seu passado. Entrevistando velhos conhecidos e recém-chegados a fim de aprofundar as investigações e elaborar sua matéria, a jornalista relembra a infância e a adolescência conturbadas e aos poucos desvenda os segredos de sua família, quase tão macabros quanto as cicatrizes sob suas roupas.

Perturbador. Inquietante. E incrivelmente viciante. Objetos cortantes é um livro que vai mexer com você. 

Há pouco tempo atrás Camille buscou ajuda pela primeira vez e foi internada. O motivo? Ela se corta. Incansável e insistentemente. E só a dor trás o alívio que ela tanto busca. Agora ela está bem. Não se corta desde que saiu do hospital e ainda manteve seu emprego. Camille é repórter de um jornal mediano, mas ela mesma não se acha tão boa assim, então não tem problema. É melhor do que emprego nenhum.

Quando Curry (seu chefe) lhe dá a notícia de que ela irá para Wind Gap, sua minúscula cidade natal, tentar uma exclusiva em um possível caso de serial killer, Camille se vê obrigada a aceitar. Ela sabe que suas matérias estão decaindo e que essa pode ser sua última chance de se redimir. Então ela aceita. Mesmo que isso signifique se hospedar, depois de 8 anos sem nenhuma visita, na casa de sua mãe

Ao chegar na cidade, Camille percebe que a estadia vai ser ainda mais complicada do que ela imaginava. Além da meia-irmã desequilibrada e do padrasto apático, Camille percebe que os fantasmas do passado podem não estar tão no passado assim. 
“Eu sentia as lágrimas represadas, como um balão de água cheio prestes a explodir. Suplicando por um furo de alfinete. Wind Gap era tóxica para mim. Aquela casa era tóxica para mim.” Pagina 45
O primeiro contato que tive com Gillian Flynn foi lendo Garota Exemplar, que causou uma primeira impressão incrível. Então as expectativas para ler Objetos Cortantes estavam lá no alto. Pouco antes de solicitar o livro, li uma resenha afirmando que a leitura era boa, mas que não era tão bem escrita como Garota Exemplar. Sendo assim, decidi ter isso na cabeça quando fosse ler o livro, para não me decepcionar. E posso falar? Não me decepcionei nem um pouco!

Camille tem o corpo marcado por palavras, que ela gravou na pele ao longo dos anos. A narração é feita em primeira pessoa, pela própria Camille. Os sentimentos dela são tão fortes e as descrições são tão reais, que algumas partes chegam a ser perturbadoras. A cada situação diferente que ela enfrenta, uma palavra se inquieta, sussurra ao longo do corpo e a vontade de se cortar fica mais forte do que nunca.

Apesar de a trama não contar com uma reviravolta tão gigantesca como em Garota Exemplar, ainda assim a autora conseguiu me manipular muito bem. Passei mais da metade do livro acreditando que já tinha todas as respostas, mas admirando o quanto a narrativa era envolvente. Na minha cabeça eu já tinha o mistério solucionado, mas mesmo assim não perdia o interesse e não conseguia parar de ler. E, obviamente, tive uma surpresa no final. Minha teoria não estava totalmente errada, mas teve um pequeno desvio de cálculos. Conclusão: terminei a leitura chocada. 

Gillian tem o dom de nos mostrar como o ser humano pode ser podre e mesquinho. Objetos Cortantes é um livro pesado, que consegue chocar o leitor e ainda assim proporcionar uma ótima leitura. Recomendo! 
“Confrontada com toda aquela carne macia, eu podia sentir a minha pele começar a tagarelar.” Página 155
*Este livro foi uma cortesia da Editora Intrínseca.

domingo, 22 de março de 2015

Resultado: Sorteio Mariposa!

E chegou ao fim mais um sorteio realizado aqui no blog. Quero agradecer a autora Patrícia Baikal, que gentilmente cedeu um exemplar de Mariposa para sorteio. E agradecer novamente a cada um que participou, curtiu e compartilhou a promoção. Obrigada! ♥

E a sortuda da vez foi:


Parabéens Antonia!Já enviei um e-mail para você e aguardo a resposta em até 3 dias, ok? :D

Bom restinho de domingo, pessoal! Beijo!

quinta-feira, 19 de março de 2015

Tag: Meu blog e eu!

Heey pessoal! Quem acompanha o blog sabe que eu adoooro responder tags. Geralmente as tags são sobre livros, mas essa é um pouquinho diferente! A tag é um mais pessoal, sobre o blog e eu (dai o nome! haha). Quem me indicou foi a Amanda, do blog Lugar ao Sol e eu adorei a indicação! Obrigadaaa Amanda! Espero que vocês gostem!


1. Por que tu criou o blog? 
Criei o blog depois de terminar um livro e ficar apaixonada pela história. A continuação ainda não tinha previsão de lançamento e eu não tinha com quem comentar o tanto que o livro era incrível. Resolvi criar o blog para ter com quem compartilhar minhas leituras.

2. Como tu escolheu o nome do blog?
Desde o início eu queria um nome que me desse espaço para falar de várias coisas. O foco principal sempre foi falar de livros, mas eu queria poder falar sobre tudo que me desse vontade. Foi assim que surgiu o Uma Pitada de Cultura, que, depois de um tempo, pareceu um nome longo de mais. Mudei o layout e resolvi deixar apenas Pitada de Cultura. 

3. Quando teu blog foi criado?
No dia 20 de janeiro de 2012.

4. Qual o assunto principal que seu blog aborda?
Livros! Mas também gosto muito de falar sobre arte, criatividade, filmes, design e culinária.

5. Quem fez o layout?
Uso um layout padrão do blogger e personalizado por mim. Mas eu estou querendo passar o blog para o Wordpress e criar um layout totalmente novo. Aguardem! ;)

6. Fale um pouco do layout, o que ele representa?
Quando pensei nesse layout, queria uma coisa simples e elegante, mas com um toque pessoal. Então tive a ideia de criar uma "caricatura" minha para usar no topo e deixar o restante organizado e sem muita informação visual. 

7. Pensa em fazer do blog um trabalho?
Seria incrível! Postar no blog é uma coisa que eu realmente adoro fazer. Se ele fosse um trabalho, eu poderia me dedicar exclusivamente a ele. Quem sabe no futuro! Empresas, me patrocinem, por favor! haha

8. O que diria para os blogueiros que começaram agora?
Não crie um blog pensando em se tornar rica e famosa. Faça por amor, por satisfação pessoal. Se você entrar nessa visando só o lado financeiro, provavelmente vai se frustrar. Faça do seu blog um lugar que você adore acessar, que represente o que você realmente pensa e a sua personalidade.

Vou indicar alguns blogs para responder, mas se você gostou da tag, por favor responda e me mande o link! :D

Guerra de Almofada
Trocando o Disco
Meu outro lado
M.C Jachnkee
Confissões de um leitor
Amiga da Leitora

Vocês gostam desse tipo de Tag? Quem gostou, aproveita e me segue no insta (@gabrielaamoroso) ! :D 

segunda-feira, 16 de março de 2015

Mariposa - Asas que mudaram a direção do vento



Um jogo de poder, política e corrupção se cruza com uma história de amor. Um jovem senador, Nicolas, se vê rodeado de grandes mistérios a partir do momento em que uma estranha mulher invade sua casa e lhe dá pistas para incriminar seu rival político.
Enquanto se envolve de uma forma apaixonante com esta mulher, de codinome Mariposa, Nicolas tenta desvendar os segredos de uma organização invisível aos olhos da sociedade, mas com grande poder de influência na política do país.
Skoob -  Amazon 


Mariposa é um livro que tem tudo a ver com o momento que estamos vivendo. Fala de política, corrupção, descaso e falta de caráter. E não para por ai, mostra o que acontece com quem tem alguma influência e tenta lutar contra o sistema.

Nicolas é um homem íntegro, que entrou na política meio sem querer e acabou gostando do seu papel. Ele se tornou um senador que luta contra a corrupção e contra o descaso político. Indignado com as ações podres do senador Brassel, Nico começa uma investigação que tem como meta colocar Brassel na cadeia. 

E é justamente devido a essa investigação que Nico acaba atraindo Mariposa para a sua vida. Ela faz parte de uma organização secreta, que luta para melhorar a política no Brasil. Mariposa só aparece quando Nico precisa de ajuda, está sempre de máscara e revela bem pouco sobre quem ela realmente é. Apesar de todos os seus alarmes internos soarem contra Mariposa, Nico se vê cada dia mais envolvido com a mulher misteriosa e passa a ansiar por qualquer contato com a moça.  

Entre lutar contra Brassel, descobrir quem realmente é Mariposa e entender o porque a presidente Glória de Almeida solicita com tanta urgência a sua presença, Nico vê sua vida virar de cabeça pra baixo.
"Determinadas posições no cenário político fazem você se sentir como um prédio antigo e isolado, na iminência de ser demolido. As pessoas respeitam o que você representa, mas evitam aproximação. Além disso, carregamos grandes expectativas dos outros sobre nós, que nem sempre coincidem com o que realmente somos ou fazemos." Página 119
Sabe quando você começa a ler um livro e todas as cenas viram um filme perfeito na sua cabeça? Pois Mariposa se transformou em uma super produção! E, apesar de ser um livro nacional, que se passa em Brasília, só consigo pensar no Bradley Cooper para assumir o papel principal. Seria perfeito, gente!

O livro é narrado pelo Nico e tem um ritmo super bacana. Eu gosto muito de livros narrados em primeira pessoa, então eu gostei bastante da narração. Alguns dos personagens secundários são complexos e nós somos apresentados às suas histórias. Os que não têm sua história explorada, contam com características marcantes, ou seja, todos conseguem despertar algum sentimento no leitor. 

Outro ponto importante de esclarecer é que não é porque o livro fala de política que a história é chata ou maçante. O personagem principal é um senador, então obviamente questões políticas são exploradas no livro, mas vai muito além disso. Mariposa trás uma pitada de artes plásticas, romance, comportamento humano e uma dose de mistério e outra de ação. 

Quando a Patrícia entrou em contato comigo e eu li a sinopse pela primeira vez, percebi o grande potencial que o livro tinha. Depois de realizar a leitura, posso afirmar que a história cumpriu o que prometia e foi além, surpreendendo o leitor com suas pequenas reviravoltas. Super recomendo! 
"Traumas nem sempre são ruins, principalmente quando nos salvam de cativeiros interiores, revelando brechas emocionais até então desconhecidas." Página 49
*Esse livro foi uma cortesia da autora Patrícia Baikal. 

P.S.: Gostou do livro? Então clique aqui e participe da promoção. Pode ser sua chance de ganhar! :D 

quarta-feira, 11 de março de 2015

Torrada Torrada: O Canal de culinária que você precisa conhecer!

Foto: Torrada Torrada
Não sei vocês, mas eu estou em uma fase total youtube. Adooro passar um tempinho assistindo vídeos, principalmente quando são vídeos de receitas (#gordinha). Outro fator que chama muito a minha atenção é a edição do vídeo. Gente, tem cada edição maravilhosa, que dá vontade de assistir mil vezes. Enfim, em uma dessas andanças pelo youtube, conheci o canal Torrada Torrada e AMEI! 

A proposta da Luanda (dona do canal) é fazer vídeos simples e dinâmicos. Ela não precisa falar nada e você aprende toda a receita. Incrível, né? Além da decoração fofa, as músicas escolhidas são incríveis e o roteiro é ótimo. Vale a pena assistir!


Você assistiu a primeira edição de Masterchef Brasil? Então PARA TUDO e vem assistir esse vídeo que a Luanda gravou com o Mohamed e com o Martin! O vídeo está sensacional, cheio de referências ao programa! 


Muito bom, né? Não deixe de se inscrever no canal! :)

sexta-feira, 6 de março de 2015

Tag: Escritores

Heey pessoal! A Nanda do blog Trocando o Disco me indicou para responder a tag Escritores. Como eu achei super divertido fazer a resenha de Anexos em vídeo, resolvi responder essa tag em vídeo também. Ahh e acabei contando como foi quando eu e a Amanda (do blog Guerra de Almofada) conhecemos o Mauricio de Sousa. Espero que vocês gostem!



As perguntas são:
1. O escritor que te iniciou no mundo da leitura;
2. Um escritor que te ganhou de volta e um que te perdeu pra sempre;
3. Um escritor brasileiro e um estrangeiro;
4. Um escritor "zona de conforto";
5. Um escritor que você traria de volta dos mortos.


Gostou da tag? Então responde também e me passa o link. Vou adorar conferir! :D

P.S.: Já está participando da nova promoção do blog? Clique aqui e concorra ao livro Mariposa!  

segunda-feira, 2 de março de 2015

A Escolhida


Kira, uma órfã de perna torta, vive em um mundo onde os fracos são deixados de lado. A partir do momento da morte de sua mãe, ela teme por seu futuro até que é perdoada pelo Conselho de Guardiões. A razão é que Kira tem um dom: seus dedos possuem a habilidade de bordar de forma extraordinária. 
Ela supera a habilidade de sua mãe, e lhe cabe a tarefa que nenhum outro membro da comunidade pode fazer. Enquanto seu talento a mantêm viva e traz certos privilégios, ela percebe que está rodeada de mistérios e segredos, mas ninguém deve saber sua intenção de descobrir a verdade sobre o mundo.

A Escolhida é o segundo volume de O Doador de Memórias. Mas, ao contrário do que possa parecer, não é a sequencia da história. Nesse livro somos apresentados a outro vilarejo, diferente de onde Jonas morava. Nessa comunidade as diferenças não são bem toleradas e as pessoas estão longe de conviver pacificamente. Apesar de existir cor e emoções, o vilarejo ainda está longe de ser uma sociedade ideal.

Kira acabou de se tornar uma órfã. Sua perna é deformada e foi apenas a influência de seu avô que a manteve viva quando ela nasceu. Agora, toda a sua família está morta e ela precisa se defender sozinha. Mal ela terminou de velar a mãe, já começaram as intrigas e Kira se vê sua vida ameaçada. Em pânico, ela consegue assustar as mulheres que a querem morta e as convence de levar o caso ao conselho dos guardiões. 

Para a sua surpresa, os conselheiros se mostram amigáveis e, ao invés de a mandarem para o campo, eles a instalam em um dos quartos do Edifício e dão a ela a importante função de restaurar a túnica do cantor. A túnica conta a história do mundo e faz com que Kira perceba que talvez o futuro esteja em suas mãos.
“Seu pedaço de pano especial estava ali, dobrado. Ele não lhe trouxe nenhum consolo. Enquanto a porta se fechava, acariciou o bordado, buscando seu conforto, mas ele parecia repelir o seu toque, quase como se quisesse alertá-la de algo.” Página 114
Em A Escolhida Lowry nos mostra uma sociedade mais parecida com a nossa. Existem as diferenças sociais, assim como os preconceitos e as discriminações. Uma pequena (pequena mesmo!) parcela da população tem acesso a um pouco de conforto e o Conselho dos Guardiões dita as regras. Se você não se encaixa, eles te eliminam. Simples assim. E o restante da população? Trabalha muito para receber migalhas e vive bisbilhotando a vida alheia. 

Confesso que me afeiçoei mais aos personagens dessa história do que aos do primeiro livro. Kira é uma garota forte e esperta. Apesar da sua condição física não ser das melhores, ela não deixa que isso a impeça de fazer o que deve ser feito. Matt é meu personagem preferido. O garoto vive no Brejo, é leal a Kira e faz as melhores observações do livro. Uma figura!  

Vale ressaltar que no finalzinho do livro a autora faz uma breve referência ao primeiro livro. Eu tenho uma teoria, mas acho que compartilhá-la aqui pode estragar a leitura de alguém. Se você já leu os dois livros e também tem uma teoria, me conta e a gente discute! 

Por fim, assim como o primeiro volume da série, A Escolhida é uma leitura rápida, que levanta grandes questionamentos. Lowry coloca em cheque a índole das pessoas e nos mostra que nem tudo é o que parece ser.
“– Nós esperamos muito tempo por você – respondeu Jamilson, encarando-a firme, como se a desafiasse a contrariá-lo.” Página 152
*Este livro foi uma cortesia da Editora Arqueiro.