INÍCIO SOBRE PARCEIROS RESENHAS ENTREVISTAS CONTATO

domingo, 2 de agosto de 2015

Uma Curva no Tempo


A noite do acidente mudou tudo... Agora, cinco anos depois, a vida de Rachel está desmoronando. Ela mora sozinha em Londres, num apartamento minúsculo, tem um emprego sem nenhuma perspectiva e vive culpada pela morte de seu melhor amigo. Ela daria tudo para voltar no tempo. Mas a vida não funciona assim... Ou funciona?
A noite do acidente foi uma grande sorte... Agora, cinco anos depois, a vida de Rachel é perfeita. Ela tem um noivo maravilhoso, pai e amigos adoráveis e a carreira com que sempre sonhou. Mas por que será que ela não consegue afastar as lembranças de uma vida muito diferente?

Como resenhar um livro que conseguiu me tocar de uma maneira tão singular quanto esse? Confesso que me deixei levar pela história e não percebi o rumo que ela estava tomando e, quando percebi, já era tarde demais. Como comentei nesse vídeo, Uma Curva no Tempo destruiu meu coração e se tornou uma das melhores leituras que fiz esse ano.

Rachel é uma adolescente normal, cheia de planos para o futuro. Ela e seu grupo de amigos estão se encontrando pela última vez antes de cada um seguir o seu caminho e ir para a faculdade. No meio do jantar, um homem perde a direção do carro e vai direto para o restaurante, causando o acidente que mudou a vida de todos eles.

Cinco anos depois, Rachel ainda não conseguiu superar o acidente. As cicatrizes emocionais são mais profundas do que as cicatrizes físicas e ela sabe que sua vida é um fracasso. O emprego é frustrante, o apartamento é pequeno e a vida, solitária. O pai está doente e, ao que tudo indica, ela também. E é com essa bagagem que Rachel se vê obrigada a voltar para a sua cidade natal, para o casamento da melhor amiga. Mesmo sabendo que vai sofrer, Rachel está disposta a realizar o desejo da amiga. Ela só não imaginou que seria tão difícil encarar seus fantasmas.

Cinco anos depois, Rachel têm a vida que sempre sonhou. O acidente não passou de um susto e todos saíram ilesos. Agora ela está noiva, tem um apartamento maravilhoso e trabalha com o que sempre quis. Seu pai está saudável e sua vida não poderia ser melhor. Então, porque é que ela continua a ter essa sensação inquietante de que está tudo errado? Como ela pode se lembrar dos últimos cinco anos de sua vida de maneira diferente da que todo mundo se lembra? 
“Do espelho da penteadeira, meu reflexo me olhou em dúvida. Se eu não podia convencer nem a mim mesma, como conseguiria sobreviver às próximas 72 horas?” Página 31
Imagine que, de uma hora para a outra, a vida que você conhece não existe mais. Sua família e seus amigos ainda são os mesmos, mas todo o resto mudou para melhor. E, quando você se belisca, nada disso desaparece. Quando você se sente confuso, as pessoas te questionam sobre essa outra vida que você insiste em dizer que é real e, quando percebem que essa vida era uma péssima versão, insistem para que você deixe isso para lá. Só que você tem certeza do que está dizendo e simplesmente não consegue conviver com essa sensação de algo está muito, muito errado. Foi exatamente isso que aconteceu com Rachel. 

E, para conseguir ser feliz nessa nova vida, ela percebe que precisa provar para si mesma  que a outra vida não existe. Então sai em uma jornada por Londres, visitando os lugares e as pessoas que fazem parte da sua antiga vida. 

Gente, não dá para eu falar o quanto eu queria da história, para não estragar a leitura de vocês. A partir do momento que a Rachel começou a ir atrás da sua outra vida, eu fiquei tão compenetrada na história, que não consegui pensar em mais nada. Fiquei tão tocada quando percebi o rumo (isso já nas últimas páginas, juro!), que não consegui me conformar que a autora ia fazer isso comigo. E ela fez. E foi lindo. Terrívelmente lindo

Em Uma Curva no Tempo, Dani Atkins conseguiu mostrar o quanto a nossa vida é frágil e como é tênue a linha que separa a vida que nós temos da vida que poderíamos ter tido. A capa é linda e depois da leitura ela passa a fazer todo o sentido. Vale MUITO a pena ler. ♥
“Ninguém nunca lhe disse que, quando se cria um mundo de fantasia, ele deve ser melhor que o mundo real... e não mil vezes pior?”Página 166
*Este livro foi cedido para resenha pela Editora Arqueiro.

8 comentários:

  1. Você me deixou louca pra ler esse livro, já ta na minha lista de desejados!
    beijos.
    http://amandatelo.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aii Amanda, se você puder, leia sim! Eu ameeeei!

      Beijo!

      Excluir
  2. achei linda a proposta, ja faz tempinho que li, mas continua vivinha na mente
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Gabi,
    Esse livro já me conquistou pela capa e amei tua resenha.
    E ainda tem essa parte em Londres!

    Óbvio que também fiquei super curiosa com o final. Imaginei uma coisa aqui, mas acho que não deve ser haha

    P.S.: Preciso ganhar na mega sena pra fazer esse mochilão pela Europa haha

    bjs e tenha uma ótima semana :D
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Nana!
      Que bom que você gostou!
      Aii, o que será que vc imaginou?

      Eu tambéeeem! Seria um sonho!

      Beijo!

      Excluir
  4. Oi Gabi!! Eu tô aqui tentando imaginar o que a autora faz, e depois de ler outras resenhas, mesmo sem saber ao certo, eu tô cheia de palpites e ainda acho que esse livro vai me deixar em pedacinhos quando eu ler :'( Ahh como eu queria passear em Londres *-* haha Linda a sua resenha! Beijos!
    www.trocandodisco.com.br

    ResponderExcluir
  5. ja tinha ficado curiosa com a capa dele, com sua resenha fiquei ainda mais interessada na historia

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir